Coronavírus

Farmacêutica norte-americana suspende ensaio clínico a tratamento para a covid-19 por segurança

Mike Blake

Grupo farmacêutico Eli Lilly, sedeado nos EUA, anunciou a suspensão de um ensaio clínico do tratamento experimental com anticorpos contra a covid-19, por razões de segurança não detalhadas.

Especial Coronavírus

O grupo farmacêutico Eli Lilly, sedeado nos EUA, anunciou esta terça-feira, em comunicado, a suspensão de um ensaio clínico do seu tratamento experimental com anticorpos contra a covid-19, por razões de segurança não detalhadas.

"Sabemos que, por precaução, o comité independente de vigilância sanitária do ensaio ACTIV-3 recomendou uma pausa nos recrutamentos", declarou um porta-voz à AFP, aludindo a um ensaio envolvendo doentes com a covid-19 hospitalizados. "Lilly apoia a decisão do comité independente de garantir com prudência a segurança dos pacientes que participam no ensaio", adiantou.

O tratamento é similar ao que Donald Trump recebeu pouco depois de ter manifestado sintomas da covid-19: são anticorpos de síntese injetados de forma intravenosa, fabricados especificamente para neutralizar o coronavirus responsável pela doença, substituindo de facto o sistema imunitário.

Trump recebeu anticorpos fabricados pela empresa norte-americana Regeneron, cuja eficácia elogiou depois de sair do hospital, prometendo autorizá-los para o conjunto dos doentes e distribuí-los gratuitamente.

As duas empresas solicitaram na semana passada à agência da alimentação e dos medicamentos do EUA (FDA, na sigla em Inglês) uma autorização para os seus tratamentos, com caráter de urgências, mas a FDA primeiro tem de verificar a sua segurança e a eventual existência de efeitos secundários graves.

Veja também: