Coronavírus

Covid-19 em Portugal. Projeções apontam para novo máximo de internados esta semana

RODRIGO ANTUNES

Nas enfermarias e nos cuidados intensivos.

Especial Coronavírus

A ministra da Saúde, Marta Temido, revelou esta segunda-feira que os internamentos por Covid-19 nos hospitais, em enfermaria e unidades de cuidados intensivos (UCI), deverão ultrapassar os três mil na próxima semana.

Segundo as projeções do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) divulgados hoje pela ministra numa conferência de imprensa, a partir de 4 de novembro estima-se que estejam internados em enfermaria 2.634 doente e 444 em UCI.

Já na quarta-feira, deverá ser ultrapassado o máximo de doentes hospitalizados nos cuidados intensivos registado na primeira vaga (271).

Marta Temido justificou este aumento com o crescimento do número de novos casos registado nas últimas semanas, que incidiu particularmente sobre as pessoas com idades entre os 20 e os 39 anos e com mais de 85 anos.

"Quero, por exemplo, destacar que na semana de 12 a 18 de outubro foram ultrapassados os máximos em quase todos os grupos etários em termos de novos casos e a taxa de notificação do grupo de mais de 85 anos ultrapassou o máximo observado na semana de 20 a 26 de abril, uma das semanas mais complicadas", detalhou.

Os efeitos desta incidência nos mais velhos já se começou a fazer sentir nos hospitais, tendo-se registado nos últimos dias um aumento contínuo no número de internamentos, e a expectativa é para que a tendência se mantenha.

"Dada a fragilidade dos indivíduos deste grupo etário, considera-se que esta situação pode levar a um aumento das hospitalizações e mesmo dos óbitos nas próximas semanas", reconheceu Marta Temido.

No início da conferência de imprensa, a ministra da Saúde atualizou ainda os dados referentes ao risco de transmissibilidade do novo coronavírus (RT), que entre 17 e 21 de outubro foi de 1,21.

Nos últimos 14 dias, Portugal registou uma taxa acumulada de 23 óbitos por um milhão de habitantes e a taxe de incidência no mesmo período foi 323 novos casos por cem mil habitantes, situando-se agora nos 187,4 novos casos por cem mil habitantes.

Portugal com 27 mortes e 2.447 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou no boletim diário desta segunda-feira que há mais 27 mortes e 2.447 novos casos de covid-19 em Portugal.

O número de mortes subiu de 2.316 para 2.343, mais 27 do que no domingo. Já o número de infetados subiu de 118.686 para 121.133, mais 2.447 casos em 24 horas.

Dos 27 óbitos nas últimas 24 horas, 13 ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, 8 no Norte, 5 na região Centro e 1 no Alentejo. Em relação aos novos contágios, 1.633 registaram-se na região Norte, 580 em Lisboa e Vale do Tejo, 167 na região Centro, 27 no Algarve, 24 no Alentejo, 11 na Madeira e 5 nos Açores.

Turistas passeiam por Lisboa

Turistas passeiam por Lisboa

Rafael Marchante

Há mais 98 pessoas internadas, totalizando 1.672, o número mais alto desde o início da pandemia. Nos cuidados intensivos estão 240, mais 10 em relação a domingo.

As autoridades de saúde têm 59.631 pessoas em vigilância, mais 882 que no domingo.

A DGS revela ainda que estão ativos 48.834 casos - um novo máximo em Portugal desde que começou a pandemia -, mais 1.341 em relação a domingo. Nas últimas 24 horas, 1.079 doentes recuperaram, totalizando 69.956 desde o início da pandemia.

Máscara obrigatória na rua. Como está a ser recebida a medida?

O uso obrigatório de máscara na rua foi aprovado na sexta-feira no Parlamento e terá uma duração prevista de 70 dias.

O diploma prevê algumas exceções à regra: dispensa, por exemplo, menores de 10 anos ou pessoas com condição clínica que não permita a utilização da máscara.

A nova lei só entra em vigor depois da promulgação do Presidente da República, mas nas ruas de Lisboa e do Porto são já muitos os que usam esta proteção.

Quem não respeitar as novas regras, arrisca uma multa com valores entre os 100 e os 500 euros.

Veja também: