Coronavírus

O casal por trás daquela que poderá ser a primeira vacina eficaz contra a Covid-19

BioNTech

Par de médicos turcos dedicou-se durante muitos anos a desenvolver tratamentos oncológicos.

Especial Coronavírus

A Pfizer anunciou na segunda-feira que a vacina contra a Covid-19 que está a desenvolver "tem 90% de eficácia", após a primeira avaliação da fase 3 dos ensaios clínicos, a última antes do pedido de aprovação pelas autoridades de saúde.

A farmacêutica norte-americana está a trabalhar em conjunto com a fabricante alemã BioNTech, criada em 2008 pelo casal de cientistas turcos Ugur Sahin e Ozlem Tureci. A dupla, de 55 e 53 anos, tem dedicado a sua vida às áreas de oncologia e doenças infecciosas, das quais se destacam tratamentos de imunoterapia inovadores.

As 100 pessoas mais ricas da Alemanha

O par responsável pelo que poderá ser a primeira vacina eficaz contra o coronavírus faz parte da lista das 100 pessoas mais ricas da Alemanha e a sua fabricante está avaliada em mais de 20 mil milhões de euros, mas os colegas descrevem-nos como pessoas “modestas e humildes”, cita a CNN.

Sahin nasceu na cidade turca de Iskenderun, mas mudou-se para Colónia, na Alemanha, aos quatro anos. Conheceu Tureci, a filha de um médico turco, quando entrou na universidade. De acordo com a Reuters, a paixão de Sahin e Tureci pela investigação é tão forte que até no dia do seu casamento estiveram no laboratório a trabalhar.

Avanço significativo na batalha contra a covid-19

Com amplo financiamento alemão, a Pfizer e a BioNTech são os primeiros fabricantes a apresentarem dados bem-sucedidos de um ensaio clínico em grande escala. O imunizante tem quase 90% de eficácia no combate ao coronavírus e as autoridades americanas podem autorizar o seu uso de emergência ainda neste ano.

PEDIDO DE APROVAÇÃO DE EMERGÊNCIA PREVISTO AINDA PARA ESTE MÊS

As farmacêuticas avançam ainda que contam dar entrada com o pedido de aprovação de emergência perante as autoridades de saúde dos EUA na terceira semana de novembro, "pouco depois de a etapa de segurança ser alcançada".

Os ensaios clínicos vão continuar, nomeadamente para a recolha de todos os dados referentes a 164 doentes que foram inoculados.

As duas farmacêuticas preveem fornecer 50 milhões de doses da sua vacina em todo o mundo ainda este ano e até 1,3 mil milhões de doses em 2021.

VACINA É UMA DAS QUE PORTUGAL "PREVÊ ADQUIRIR”

A Diretora-Geral da Saúde disse na segunda-feira que Portugal prevê comprar a vacina da farmacêutica norte-americana Pfizer. Graça Freitas diz que se a vacina tiver o nível de eficácia anunciado, será “uma das melhores vacinas que teremos” e que, por isso, “é uma boa notícia”.

Veja também: