Coronavírus

Empresários do movimento "A Pão e Água" terminam greve de fome

TIAGO PETINGA

Fernando Medina recebeu dois empresários esta quinta-feira.

Saiba mais...

Após sete dias e depois de se reunirem com Fernando Medina, os empresários do movimento "A Pão e Água" decidiram terminar a greve de fome.

O presidente da Câmara de Lisboa serviu de ponte entre o Governo e os manifestantes. Da reunião, resultou o agendamento de um novo encontro para a próxima semana, com o ministro da Economia, Pedro Siza Vieira.

Ljubomir Stanisic está confiante de que durante as negociações será possível chegar a um consenso.

Os empresários da restauração, bares e discotecas cumpriram esta quinta-feira o sétimo dia de greve de fome, num protesto em frente ao Parlamento.

Esta quinta-feira, entregaram ao assessor do presidente da Assembleia da República uma petição com mais de 70 mil assinaturas para serem recebidos pelo primeiro-ministro ou pelo ministro da Economia.

Os nove empresários instalados à porta do Parlamento exigem um apoio a fundo perdido, isenção da TSU até ao final do ano, redução do IVA da restauração para 6% e o fim do recolher obrigatório ao fim de semana a partir das 13:00.

Partidos associam-se ao movimento "A Pão e Água"

Depois do líder do CDS ter sido convidado a sair da tenda montada pelos manifestantes, alguns políticos do Bloco de Esquerda, PAN e PSD associaram-se ao movimento "A Pão e Água" e criticam o governo por não ouvir os grevistas.

VIDA DE LUXO DE ALGUNS EMPRESÁRIOS CRITICADA NAS REDES SOCIAIS

Nas redes sociais, surgiram fotografias que mostram uma vida de luxo de alguns dos manifestantes, que rejeitam viver acima das possibilidades.

  • 1:45