Coronavírus

Covid-19. Há mais de 88 milhões de casos positivos no mundo

Estados Unidos registam o pior balanço de mortes e Londres entra em situação de emergência.

Especial Coronavírus

O mundo ultrapassou os 88 milhões de casos positivos de coronavírus. Os Estados Unidos registam o pior balanço de morte de sempre e o Irão, um dos países mais afetados do Médio Oriente, está a recusar vacinas. Na Europa, o Reino Unido aprovou esta sexta-feira a vacina da Moderna, a terceira a ser distribuída.

A vacina da Moderna deverá chegar ao Reino Unido na primavera. Até agora, mais de 2% da população recebeu pelo menos uma dose das vacinas da Pfizer/BioNTech e AstraZeneca.

No entanto, o balanço diário britânico ultrapassa os 50 mil casos há mais de uma semana e os internamentos aumentaram quase 30% desde o fim do ano. Em Londres foi declarada situação de emergência. Para colmatar o aumento de casos, Inglaterra, Escócia e País de Gales impuseram a apresentação de um teste negativo a quem chega.

Em Espanha há regiões a fechar fronteiras e a adiar a reabertura de escolas. Neste país, foi ultrapassada a marca dos dois milhões de infetados pelo novo coronavírus.

Vários países apertam também as medidas para conter o aumento dos casos, como acontece na França e a Alemanha. Até a Suécia, que tem adotado uma estratégia suave, já aprovou uma lei que permite restrições.

Fora da Europa, os números também estão a disparar. Os Estados Unidos registam o pior balanço de mortes ao atingir quatro mil óbitos num dia. Os especialistas em doenças infecciosas dizem que se trata de um reflexo dos convívios na época festiva.

O Irão está a recusar vacinas: o líder Supremo proibiu a importação de doses fabricadas nos Estados Unidos e Reino Unido, alegando falta de confiança.

Na Austrália foi detetado um caso da nova variante fora do sistema de quarentenas. A identificação deste caso levou a terceira maior cidade australiana a um confinamento de três dias.