Coronavírus

Reino Unido autoriza vacina da Moderna para a covid-19

Dado Ruvic

Terceira vacina aprovada no país, já está autorizada na UE.

Saiba mais...

O regulador britânico autorizou hoje a vacina da empresa de biotecnologia norte-americana Moderna para a covid-19, a terceira "arma" no combate à pandemia no país europeu mais atingido.

O anúncio foi feito pelo ministro da Saúde que acrescentou que vão ser compradas mais 10 milhões de doses desta vacina. No total, o Reino Unido vai receber 17 milhões de doses a partir da primavera.

O Reino Unido é o país mais atingido pela pandemia, com mais de 78 mil mortos. Conta já com três vacinas para a covid-19:

  • A vacina Pfizer, que precisa de ficar armazenada a temperaturas muito baixas.
  • A vacina Oxford/AstraZeneca que pode ser guardada em frigoríficos normais existentes em qualquer estabelecimento de saúde.
  • A vacina da Moderna, já autorizada na UE.

Mais de 1,5 milhões vacinados no Reino Unido

Até agora, o Reino Unido inoculou 1,5 milhões de pessoas com duas outras vacinas, a Pfizer/BioNTech e a AstraZeneca/Oxford, estando a dar prioridade a pessoas residentes e trabalhadores de residências sénior, profissionais de saúde e de assistência social, maiores de 70 anos e pessoas clinicamente vulneráveis.

"As vacinas são a chave para nos libertar das garras desta pandemia, e as notícias de hoje são mais um passo importante para acabar com o confinamento e voltar à vida normal", disse o ministro da Economia, Alok Sharma.

O serviço de saúde público britânico anunciou na quinta-feira que vai começar na próxima semana a usar como centro de vacinação um hospital de campanha construído num enorme centro de exposições no leste de Londres durante a primeira vaga da pandemia, na primavera de 2020.

Estádios e outros centros desportivos, além de hospitais e centros de saúde, também vão ser usados para acelerar o programa de vacinação, que o Governo pretende que imunize cerca de 14 milhões de pessoas até 15 de dezembro.

O Reino Unido tem um dos balanços mais pesados dos efeitos da pandemia na Europa, com 78.508 mortos registados até quinta-feira, tendo as autoridades britânicas atribuído uma aceleração de infeções nas últimas semanas a uma estirpe do coronavírus altamente infecciosa identificada no sul de Inglaterra.

A vacina da Moderna, com uma eficácia comprovada superior a 90%, foi a segunda a ter aval da Agência Europeia do Medicamento (EMA), após a aprovação, a 21 de dezembro de 2020, do fármaco desenvolvido pelas farmacêuticas Pfizer e BioNTech, que está a ser utilizado no espaço europeu desde 27 de dezembro.

Pandemia já matou pelo menos 1.88 milhões de pessoas e infetou mais de 87,1 milhões

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.884.187 mortos resultantes de mais de 87,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Os países que registaram o maior número de mortes são os Estados Unidos, Brasil e México.

Portugal com 7.472 mortes e 456.533 casos de covid-19

Portugal contabiliza esta quinta-feira mais 95 mortes relacionadas com a covid-19 e 9.927 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o relatório diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 7.472 mortes e 456.533 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando esta quinta-feira ativos 93.360 casos, mais 6.356 em relação a ontem.

Quanto aos internamentos hospitalares, o boletim epidemiológico da DGS revela que estão internadas 3.333 pessoas, mais 40 do que ontem, e 514 em cuidados intensivos, mais 1.

Mais de 60 mil doses da vacina da Pfizer já foram distribuídas em Portugal

Das mais de 140 mil doses de vacinas que chegaram a Portugal, a 6 de janeiro mais de 60 mil doses já foram distribuídas e tinham sido vacinadas mais de 32 mil pessoas. De acordo com a ministra da Saúde, para já está prevista a toma da segunda dose passados 21 dias de ter sido inoculada a primeira.

A vacina da Moderna começa a ser entregue em Portugal na próxima semana (260 mil unidades até março) e está pronta a usar.

Links úteis

Mapa com os casos a nível global