Coronavírus

Ministério da Saúde esclarece que estão a ser retiradas 6 doses por frasco da vacina da Pfizer

Enfermeira administra a vacina Pfizer-BioNTech a uma profissional de saúde no Hospital de Santa Maria, em Lisboa

JOSE SENA GOULAO

Garante que vacina da Pfizer/BioNTech não está a ser desperdiçada em Portugal.

Saiba mais...

O Ministério da Saúde veio hoje afirmar que estão a ser retiradas 6 doses de cada frasco da vacina da Pfizer/BioNTech e que "Portugal não tem desperdiçado a 6.ª dose".

Em nota enviada às redações, o Ministério da Saúde afirma que estão a ser administradas 6 doses por frasco na sequência de uma nota do INFARMED nesse sentido datada de 30 de dezembro "desde que fosse sempre verificado e assegurado o volume de 0,3 mililitros (ml) previamente a cada administração".

Neste enquadramento a prática generalizada dos postos de vacinação tem sido a utilização da 6.ª dose, cumpridas que sejam as condições exigidas.

Assim, o Ministério garante que Portugal não tem desperdiçado a 6.ª dose, conforme o Expresso noticia.

O Ministério explica que a orientação "foi dada no contexto da discussão em curso, no âmbito da rede, integrada pelo Infarmed, autoridades reguladoras do medicamento da União Europeia e da Agência Europeia de Medicamentos (EMA), tendo a empresa titular de Autorização de Introdução no Mercado submetido formalmente o pedido de alteração da extração do número de doses por frasco [de cinco para seis]", cuja avaliação ficou hoje concluída.

O Ministério acrescenta que esta atualização, já aprovada pela EMA, irá ser refletida numa norma da Direção-Geral da Saúde "elaborada de acordo com o Resumo das Características do Medicamento (RCM)".

"A prática generalizada dos postos de vacinação tem sido a utilização da 6.ª dose, cumpridas que sejam as condições exigidas", afirma o MS, sublinhando que a utilização desta 6.ª dose "cumpriu com todas as regras de segurança e qualidade aplicáveis à reconstituição e administração de fórmulas medicamentosas".

Agência Europeia do Medicamento diz que cada frasco da vacina da Pfizer dá para 6 doses

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês) atualizou as informações sobre a vacina covid-19 da Pfizer/BioNTech esclarecendo que cada frasco contém o suficiente para seis doses, em vez das cinco recomendadas até agora.

Para obter as seis doses completas, a EMA aconselha o uso de uma seringa de "baixo volume" (não mais do que 0,035 mililitros) para a extração e avisa que "se forem usadas seringas e agulhas padrão, pode não haver vacina suficiente para extrair a sexta dose do frasco".

Se estas recomendações forem seguidas, os países da União Europeia poderão obter dezenas de milhares de doses da vacina além das inicialmente planeadas.

Contudo, diz a EMA, caso não se obtenha a dose completa de um frasco - 0,3 mililitros - deve descartar-se o que sobra.

UE aumenta contrato com a Pfizer/BioNTech para compra de mais 300 milhões de doses da vacina

A Comissão negociou a extensão do contrato com a Pfizer e BioNTech, à qual já adquirira 300 milhões de doses da vacina, permitindo assim duplicar esse número, e salientou que 75 milhões destas doses adicionais estarão disponíveis "já a partir do segundo trimestre", sendo as restantes entregues no terceiro e no quarto trimestres.

Com as vacinas da Pfizer e BioNTech já garantidas, associadas às 150 milhões de doses da vacina desenvolvida pela farmacêutica Moderna -- a segunda a ser aprovada pela Agência Europeia do Medicamento (EMA) e pela Comissão para utilização na UE -, Bruxelas já garantiu assim "um número de doses que permite vacinar 380 milhões de europeus, mas de 80% da população europeia", sublinhou Von der Leyen.

Mais de 60 mil doses da vacina da Pfizer já foram distribuídas em Portugal

Das mais de 140 mil doses de vacinas que chegaram a Portugal, a 6 de janeiro mais de 60 mil doses já foram distribuídas e tinham sido vacinadas mais de 32 mil pessoas. De acordo com a ministra da Saúde, para já está prevista a toma da segunda dose passados 21 dias de ter sido inoculada a primeira.

A vacina da Moderna começa a ser entregue em Portugal na próxima semana (260 mil unidades até março) e está pronta a usar.

Primeira fase da vacinação em Portugal iniciou-se a 27 de dezembro

Em Portugal a campanha de vacinação contra a covid-19 iniciou-se em 27 de dezembro nos hospitais, abrangendo os profissionais de saúde, e já se estendeu-se aos lares de idosos.

A primeira fase do plano de vacinação, até final de março, abrange também profissionais das forças armadas, forças de segurança e serviços críticos.

Nesta fase serão igualmente vacinadas, a partir de fevereiro, pessoas de idade igual ou superior a 50 anos com pelo menos uma das seguintes patologias: insuficiência cardíaca, doença coronária, insuficiência renal ou doença respiratória crónica sob suporte ventilatório e/ou oxigenoterapia de longa duração.

A segunda fase arranca a partir de abril e inclui pessoas de idade igual ou superior a 65 anos e pessoas entre os 50 e os 64 anos de idade, inclusive, com pelo menos uma das seguintes patologias: diabetes, neoplasia maligna ativa, doença renal crónica, insuficiência hepática, hipertensão arterial, obesidade e outras doenças com menor prevalência que poderão ser definidas posteriormente, em função do conhecimento científico.

Na terceira fase será vacinada a restante população, em data a determinar.

As pessoas a vacinar ao longo do ano serão contactadas pelo Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Portugal com 7.472 mortes e 456.533 casos de covid-19

Portugal contabiliza esta quinta-feira mais 95 mortes relacionadas com a covid-19 e 9.927 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o relatório diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 7.472 mortes e 456.533 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando esta quinta-feira ativos 93.360 casos, mais 6.356 em relação a ontem.

Quanto aos internamentos hospitalares, o boletim epidemiológico da DGS revela que estão internadas 3.333 pessoas, mais 40 do que ontem, e 514 em cuidados intensivos, mais 1.

Pandemia já matou pelo menos 1.88 milhões de pessoas e infetou mais de 87,1 milhões

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.884.187 mortos resultantes de mais de 87,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Os países que registaram o maior número de mortes são os Estados Unidos, Brasil e México.

Links úteis

Mapa com os casos a nível global

  • 3:26