Coronavírus

Dinamarca vai administrar vacina da AstraZeneca a maiores de 65 anos

Clodagh Kilcoyne

É o quarto país da UE a autorizar.

Saiba mais...

A autoridade de saúde dinamarquesa autorizou hoje a administração da vacina da Oxford/AstraZeneca contra a covid-19 a todas as pessoas com mais de 18 anos, incluindo os mais idosos.

A Dinamarca torna-se assim o quarto país da União Europeia a dar esta autorização, depois da Alemanha, Bélgica e França.

O Canadá desaconselha a vacina da AstraZeneca a maiores de 65 anos

Alemanha e Bélgica estendem administração da vacina da AstraZeneca a maiores de 65 anos

Dose da vacina AstraZeneca reduz risco de hospitalização de idosos com mais de 80 anos

A injeção de uma dose da vacina AstraZeneca/Oxford contra a covid-19 permite reduzir em mais de três quartos o risco de hospitalização de idosos com mais de 80 anos, conclui um estudo britânico divulgado esta quarta-feira.

Os resultados, ainda não revistos por cientistas independentes, juntam-se a dados recentes que concluíram que a vacina, administrada em duas doses e que diversos países, incluindo Portugal, não recomendam a pessoas com mais de 65 anos, por falta de eficácia comprovada nos ensaios clínicos, é eficaz nos idosos.

Investigadores da Universidade de Bristol, no Reino Unido, estudaram um grupo de doentes com mais de 80 anos hospitalizados em Inglaterra com doença respiratória (com ou sem covid-19).

Ordem dos Médicos defende administração da vacina da AstraZeneca a maiores de 65 anos

A Ordem dos Médicos defende a administração da vacina da AstraZeneca contra a covid-19 a pessoas com mais de 65 anos. Diz também ver benefícios no alargamento do intervalo entre as duas doses da vacina da Pfizer.

Em comunicado enviado às redações, a Ordem diz entender que "existem dados suficientemente robustos para que a vacina do laboratório farmacêutico AstraZeneca seja alargada aos maiores de 65 anos".

A Direção-geral da Saúde tem desaconselhado esta vacina aos mais velhos a menos que seja a única opção disponível.

Mais de 2,5 milhões de mortos e 115 milhões de infetados no mundo

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.560.789 mortos no mundo, resultantes de mais de 115.130.940 de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Os países mais afetados continuam a ser os Estados Unidos, o Brasil, o México a Índia e o Reino Unido.

Em Portugal, morreram 16.458 pessoas e há um total de 807.456 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2 desde o início da pandemia.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Links úteis

Mapa com os casos a nível global

  • "Quando cheguei ao hospital estava a ter um enfarte"

    Olhar pela Saúde

    Anos a fio de uma alimentação à base de gorduras e excesso de sal, tabagismo e sedentarismo fizeram com que José Santos fosse parar a uma cama de hospital aos 48 anos. O diagnóstico: enfarte agudo do miocárdio provocado por colesterol elevado e hipertensão arterial. Vários hábitos tiveram de mudar e as idas ao médico passaram a ser mais frequentes.

    Exclusivo Online

    Bárbara Ferreira

  • 2:33