Coronavírus

Nova variante do novo coronavírus detetada no Reino Unido

Na Alemanha a preocupação é que uma das variantes britânicas mais contagiosa se torne predominante.

Saiba mais...

Os cientistas identificaram 16 casos de mais uma nova variante do novo coronavírus no Reino Unido e que terá tido origem no país. Tem uma mutação em comum com as variantes da África do Sul e do Brasil.

A variante B.1.1.318 é designada pela Public Health England como "variante sob investigação" (VUI), o que significa que está sob observação mas ainda não é preocupante, avança a BBC.

A mutação está numa área da proteína "spike" do vírus, chamada E484K que enfraquece a resposta imunitária do corpo ao novo coronavírus.

Não tem a mutação N501Y que está presente em todas as "variantes preocupantes" (VOC)

Os casos foram identificados pela primeira vez a 15 de fevereiro pelo sistema de vigilância de variantes do Reino Unido. Todos os 16 indivíduos com teste positivo e os seus contatos foram localizados e aconselhados a isolarem-se.

Atualmente o Reino Unido tem oito variantes em observação: quatro VUI - variante sob investigação e quatro VOC - variante preocupante..

Variante do novo coronavírus B.1.1.7 pode tornar-se dominante na Alemanha

Uma variante mais contagiosa do novo coronavírus que foi detetada pela primeira vez no Reino Unido pode tornar-se em breve a dominante na Alemanha e será difícil de travar, alertou hoje o Instituto Robert Koch Institute.

O responsável pelo instituto alemão, Lothar Wieler, afirmou que a variante B.1.1.7 é responsável por mais de 40% dos casos de covid-19 na Alemanha. Na semana passada representava 6%.

"É previsível que a B.1.1.7 seja em breve a variante predominante na Alemanha e será ainda mais difícil manter o vírus sob control0 porque a B.1.1.7 é mais contagiosa e ainda mais perigosa em todas as faixas etárias".

Vacinas contra a covid-19 e eficácia contra as variantes

A Pfizer e BioNTech garantem que a sua vacina mantém eficácia contra as principais mutações da variante britânica e da sul-africana. Apoiam a sua afirmação num estudo publicado na revista Nature Medicine.

A Moderna assegura que a sua vacina é eficaz contra a variante britânica e, até certo ponto, contra a sul-africana. Quer no entanto introduzir uma dose de reforço dirigida especificamente contra esta variante.

Um estudo colocou em causa a eficácia da vacina da AstraZeneca contra a variante sul-africana, razão pela qual a África do Sul decidiu utilizar antes a vacina da Johnson & Johnson. Mas nenhuma conclusão é ainda definitiva.

Mais de 2,5 milhões de mortos e 115 milhões de infetados no mundo

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.560.789 mortos no mundo, resultantes de mais de 115.130.940 de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Os países mais afetados continuam a ser os Estados Unidos, o Brasil, o México a Índia e o Reino Unido.

Em Portugal, morreram 16.458 pessoas e há um total de 807.456 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2 desde o início da pandemia.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Links úteis

Mapa com os casos a nível global