Coronavírus

Apoios Sociais. "Alteração que foi feita em sede de Parlamento cria efeitos injustos"

Ana Mendes Godinho deixou ainda críticas ao antigo Governo de Pedro Passos Coelho.

A ministra do Trabalho insiste que o alargamento dos apoios sociais, aprovado pelo Parlamento, tornou a atribuição mais injusta. Numa audição conjunta com o ministro da Economia, esta terça-feira, no Parlamento, Ana Mendes Godinho acusou o Governo PSD/CDS de não ter protegido o emprego durante os tempos da troika.

“A alteração que foi feita em sede de parlamento cria de facto efeitos injustos na forma como os apoios têm sido implementados e cria uma completa quebra na ligação entre a história contributiva dos trabalhadores e o apoio que é prestado”, disse a ministra do Trabalho.

Ana Mendes Godinho afirmou ainda que o Governo está “permanentemente a monitorizar, a adaptar e a procurar reforçar as medidas para chegar a mais pessoas e reforçar a capacidade de resposta”, referindo que “um em cada dois trabalhadores independentes foi abrangidos pelas medidas extraordinárias” criadas.

A ministra deixou ainda críticas ao anterior Governo do PSD/CDS, referindo que a taxa de desemprego durante a troika era muito mais elevada que a atual.

“Estamos longe dos números que tivermos em 2013, em que ultrapassamos 16% de taxa de desemprego. Em que a alternativa que era dada às pessoas era que emigrassem. A nossa aposta foi completamente diferente, foi uma aposta de permanentemente estar a implementar e a adaptar medidas para apoiar o emprego de uma forma extraordinária”, disse.