Coronavírus

Covid-19. Costa reúne-se com autarcas dos concelhos com maior incidência

O Governo tem vindo a avisar que alta incidência pode ser um critério para travar o desconfinamento.

Saiba mais...

António Costa reuniu-se, na manhã desta terça-feira, com os autarcas dos municípios com maior incidência de covid-19. Em todo o país há 26 concelhos acima do limiar de risco e que podem travar o desconfinamento.

O encontro aconteceu por videochamada e juntou o primeiro-ministro aos autarcas de Alandroal, Carregal do Sal, Moura, Odemira, Portimão, Ribeira da Pena e Rio Maior. São estes os concelhos que constam do topo da lista da taxa de incidência em Portugal continental.

No final da reunião, António Costa admite que “na agricultura a questão é crítica”, deixando um apelo às entidades patronais que reforcem a proteção dos trabalhadores e aos funcionários para que não descuidem o uso de máscara nos tempos de pausa. Para além disso, o primeiro-ministro anunciou ainda o “reforço da GNR e PSP em todos os concelhos com mais de 120 casos por 100 mil habitantes, tendo em vista reforçar as ações de fiscalização”.

Os números mais recentes mostram que, no continente, há 19 concelhos com mais de 120 novos casos por 100 mil habitantes. Moura é o que apresenta a incidência mais elevada: 474 novos casos por 100 mil habitantes. Os dados são referentes ao período entre 17 e 30 de março.

Nos Açores e na Madeira há mais sete concelhos de risco. Machico, na Madeira, regista 500 novos casos por 100 mil habitantes.

O Governo tem vindo a avisar que a incidência poderá ser um critério para travar o desconfinamento, cuja terceira fase está prevista para dia 19. Os concelhos acima do limiar de risco – que está definido nos 120 novos casos por 100 mil habitantes – poderão não avançar na reabertura.

Os autarcas defendem que este critério, de forma isolada, é injusto e prejudica os concelhos com menos população. Alguns especialistas concordam. Luís Cadinha, presidente do colégio da especialidade de Saúde Pública, considera que seria uma boa medida analisar o número de novos casos com o número de cadeias de transmissão ativa de forma a ter uma análise mais completa e mais real.

Para além dos concelhos acima da linha de risco, também os municípios vizinhos correm o risco de ter de pôr o pé no travão do descondinamento. São mais de 60 autarquias, só no continente.