Coronavírus

Regulador europeu avalia possível ligação entre a vacina da AstraZeneca e a formação de coágulos

A Agência Europeia do Medicamento diz estar a rever a recomendação e uma decisão deve ser anunciada nos próximos dias, depois de um dos responsáveis ter confirmado a relação entre a vacina da AstraZeneca e a formação de coágulos.

Saiba mais...

A Agência Europeia do Medicamento esclareceu que está ainda a avaliar a possível ligação entre a vacina da AstraZeneca e a formação de coágulos.

Esta avaliação acontece depois de um dos responsáveis ter confirmado a existência de "uma ligação" entre a vacina AstraZeneca/Oxford e os coágulos sanguíneos observados após a sua administração. O regulador diz estar a rever a recomendação e uma decisão deve ser anunciada nos próximos dias.

Em Portugal, o Infarmed rejeita adotar uma posição unilateral e vai esperar pelas conclusões da agência europeia.

Esta segunda-feira à noite, o canal britânico Channel 4 avançava que o regulador do Reino Unido estará a considerar recomendar que a vacina da AstraZeneca não seja administrada aos mais jovens, devido ao risco de coágulos.

O regulador britânico pode vir a alterar a recomendação em relação à vacina da AstraZeneca. E apesar de garantir que ainda não decidiu, confirma estar a investigar os casos de coágulos.

A estação citava duas fontes que disseram que, apesar dos dados não serem ainda totalmente claros, há cada vez mais argumentos para que a vacina desenvolvida em Oxford não seja tomada pela população abaixo dos 30 anos.

Enquanto decorre esta investigação, a Universidade de Oxford suspendeu os ensaios da vacina em crianças.

A OMS também já veio garantir que procede a uma análise diária dos dados disponíveis e reiterou que a informação atual não estabelece nenhum vínculo entre a vacina e certos tipos de trombose.

Veja também: