Coronavírus

Covid-19 em Lisboa e Vale do Tejo. 68% dos casos surgem em família, 11% em festas e 9% em escolas 

Entrevista SIC Notícias

Vários concelhos de Lisboa com 120 casos por cem mil habitantes e o ritmo mantém-se crescente.

Saiba mais...

Sessenta e oito por cento dos casos de covid-19 na região de Lisboa e Vale do Tejo ocorreram em ambiente familiar, 11% em festas e eventos e 9% em escolas, avançou esta segunda-feira o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares e coordenador da resposta covid-19 na região.

Ao longo das últimas semanas tem-se verificado um aumento de incidência em vários concelhos da região, que têm resultado da infeção da população não vacinada. Lisboa e outros concelhos já ultrapassaram os 120 casos por cem mil habitantes e o ritmo tem sido crescente. As taxas de crescimento não são irreversíveis, focou Duarte Cordeiro, que acredita que, coletivamente, é possível dar a resposta necessária.

Isto exige não só o cumprimento do uso de máscara e do distaciamento social, como também uma aposta na testagem. O secretário de Estado sublinha que na região existem testes gratuitos nas farmácias e que têm sido levadas a cabo iniciativas para sensbilizar a realização de testes, como unidades móveis.

Em entrevista à SIC Notícias, Duarte Cordeiro admitiu que a testagem devia estar em níveis superiores. "Os testes deviam ser mais procurados. Temos de ter em atenção que, de repente, podemos ter o nosso filho a ter um final de ano letivo estragado, ou umas férias estragadas porque estamos infetados", referiu.

Questionado sobre a tendência crescente da incidência em Lisboa, esclareceu que foram realizados casamentos e eventos de onde surgiram muitas centenas de casos. "Um surto tem efeito multiplicador que pode levar aos milhares de casos", ressaltou.

Para o secretário de Estado a fórmula para reverter a tendência é a seguinte: manter o ritmo elevado de vacinação, sensibilizar em relação à testagem e isolar com rapidez os casos positivos. Portugal ainda não chegou à imunidade de grupo, lembrou, e, por isso, é preciso continuar com a "disciplina até à imunidade de grupo".

Recuar no desconfinamento é hipótese?

Sim. De acordo com o coordenador da resposta covid-19 na região de Lisboa e Vale do Tejo é possível recuar no desconfinamento caso um concelho apresente mais de 240 casos por cem mil habitantes por duas semanas consecutivas, tal como foi decidido no Conselho de Ministros.

6.500 alunos em isolamento profilático

Só na Região de Lisboa e Vale do Tejo, 6.500 alunos estão em isolamento profilático a poucas semanas do final do ano letivo e da realização dos exames nacionais.

Por isso, Duarte Cordeiro considera importante moderar "aquilo que desejaríamos que fosse o desconfinamento".

Arraial da Iniciativa Liberal revelou "alguma irresponsabilidade"

Sobre o arraial de Santo António organizado pela Iniciativa Liberal em Lisboa, Duarte Cordeiro esclareceu que o evento teve muitos aspetos que não foram de todo recomendáveis e que revelaram "alguma irresponsabilidade".

"Devemos todos dar o exemplo, os partidos políticos acima de tudo", afirmou.

Os lisboetas respeitaram as orientações da Direção-Geral da Saúde, disse, acrescentando que o esforço foi feito em prol de uma maior liberadade para os próximos meses.

  • Dentro do coração
    4:23

    Futuro Hoje

    Há 7 anos no Futuro Hoje mostrámos pela primeira vez um pacemaker que se instala dentro do coração. Em Portugal há muitas pessoas a quem este aparelho salvou a vida. Só o Dr. Diogo Cavaco, cardiologista que introduziu esta técnica no país, já instalou mais de cem aparelhos destes.