Eleições no Brasil

Bolsonaro e Lula da Silva preocupados com a abstenção na segunda volta

Loading...

As sondagens apontam que o resultado pode ser decidido por poucos votos.

A poucos dias das Presidenciais brasileiras, as campanhas de Lula da Silva e de Jair Bolsonaro estão preocupadas com a abstenção. As sondagens apontam que o resultado pode ser decidido por poucos votos. Na reta final, circulam muitas notícias falsas sobre planos económicos.

Lula e Bolsonaro têm anunciado medidas que podem mexer no bolso dos eleitores. Poucas propostas e muito alarmismo, ataques mútuos de fim de benefícios aos trabalhadores.

Na última semana de campanha antes da segunda volta, a justiça eleitoral determinou a remoção do que foi considerado notícias falsas. O Supremo Tribunal Federal confirmou a resolução da justiça eleitoral, que busca agilizar a retirada de conteúdos com desinformação das redes sociais e aumentar a punição de quem veicula esse tipo de material.

Jair Bolsonaro, que tem alta rejeição entre o eleitorado feminino, relativizou, durante uma entrevista, as denuncias de assedio sexual do ex-diretor do Caixa Económica Federal – que foi afastado do Governo depois de ter sido acusado por várias funcionarias do banco estatal.

Já Lula da Silva tem tentado combater a rejeição entre os anti-petistas. Num evento, o candidato afirmou que, se for eleito, o seu Governo não será do partido dos Trabalhadores, mas da frente ampla que o apoia.

A abstenção também preocupa as duas campanhas. Há uma mobilização entre os aliados dos estados e municípios para garantir transporte publico gratuito e até adiamento de feriados. Na primeira volta, mais de 31 milhões de eleitores não compareceram nas urnas – historicamente, a abstenção costuma ser maior na segunda volta.

A campanha de Bolsonaro quer evitar que os eleitores do presidente, que tem maior renda, viajem no feriado facultativo da próxima sexta-feira e, por isso, deixem de votar no domingo. Já a campanha de Lula da Silva tenta que a falta de dinheiro para ir até os locais de votação não seja um empecilho para os mais pobres, faixa onde o ex-Presidente lidera .

Últimas Notícias
Mais Vistos