Eleições nos EUA

Grupo de senadores dos EUA apresenta oposição oficial ao resultado de presidenciais

Patrick Semansky

Esta iniciativa pode atrasar a confirmação da vitória do democrata Joe Biden.

Um grupo de 11 senadores republicanos anunciou este sábado que vai apresentar, na quarta-feira, dia 6, uma oposição oficial à certificação pelo Congresso norte-americano do resultado das eleições presidenciais.

Esta iniciativa pode atrasar a confirmação da vitória do democrata Joe Biden, mas não evitá-la.

Até agora, apenas um senador, o republicano Josh Hawley, tinha anunciado a intenção de contestar, na quarta-feira, a vitória do democrata, um movimento raro que poderá expor divisões dentro do partido.

"O Congresso deve nomear imediatamente uma comissão eleitoral, com autoridade total para investigar" possíveis "fraudes eleitorais", defenderam os 11 membros eleitos do Senado em comunicado, fazendo eco das alegações que o presidente cessante, Donald Trump, tem feito desde novembro.

Nos Estados Unidos, o Presidente é escolhido por sufrágio universal indireto, tendo o colégio eleitoral ratificado a vitória de Joe Biden em 14 de dezembro, com 306 votos contra 232.

Donald Trump tem regularmente exortado as autoridades republicanas eleitas a apoiá-lo na sua cruzada para contestar os resultados das eleições presidenciais de 03 de novembro, apesar de os tribunais já terem "chumbado" essa posição.

Uma nova ação legal, liderada pelo republicano eleito Louie Gohmert, foi rejeitada na sexta-feira, no Texas, por falta de informações.

Gohmert pretendia demonstrar judicialmente que o vice-Presidente, Mike Pence, que presidirá à sessão do Congresso em 06 de janeiro, poderia declarar os resultados inválidos em alguns estados.

A 20 de janeiro Joe Biden toma posse como o próximo presidente dos EUA.