Guerra Rússia-Ucrânia

"A Rússia ataca ilegalmente e comete crimes, mata e destrói todos os dias na Ucrânia"

Loading...
O comentário de Germano Almeida ao ataque russo que vitimou dezenas de civis, incluindo crianças.

A central nuclear de Zaporijia foi desligada durante alguns momentos na quinta-feira, depois de ter estado em risco devido a um incêndio. Um claro sinal de alerta, numa altura em que a Europa teme um desastre nuclear.

A maior central nuclear da Europa, localizada na Ucrânia, tem sido o foco do conflito nas últimas semanas, quando as forças russas se estabeleceram e declararam como seu o território onde esta se encontra. No quinta-feira, um incêndio ameaçou o local, o que forçou à paragem dos reatores, algo que em 40 anos nunca tinha acontecido. Para Germano Almeida, é difícil perceber quem foi o causador das chamas, uma vez que tanto a Rússia como a Ucrânia se acusam.

É justamente para evitar situações semelhantes a esta que a Agência Internacional de Energia Atómica vai realizar uma visita à central nuclear nos próximos dias, afirma o comentador SIC, acrescentando que tal visita é essencial para o futuro da infraestrutura.

"É importante que, neste momento, apesar da situação tão sensível, tanto Kiev como Moscovo, aceitem isso."

Outro acontecimento que tem atraído as atenções é o ataque russo à localidade que Chaplyn, que vitimizou 25 civis, maioritariamente mulheres e crianças. Para além destas vítimas, o exército russo declarou ter abatido 200 militares ucranianos e 10 depósitos de armas, informações ainda não confirmadas oficialmente. Germano Almeida fala num crime hediondo e numa situação "inacreditável".

"Neste seis meses e dois dias de guerra, foram vários os crimes que a Rússia cometeu na Ucrânia, de várias dimensões. Este entra para a lista dos mais graves", diz o comentador.

Segundo o mesmo, a Rússia atravessa um momento difícil, e para o exército de Putin, realizar ataques similares a este é uma necessidade. O exército russo já teve de reforçar e reagrupar as tropas por várias vezes, motivadas pelo desenrolar do conflito.

"A Rússia ataca ilegalmente e comete crimes, mata, destrói todos os dias na Ucrânia", afirma Germano almeida referindo-se aos ataques protagonizados por Moscovo que vitimaram vários civis ao longo dos últimos seis meses.

Atualmente, o Kremlin prepara-se para reforçar os ativos no terreno, que passarão a ser mais de um milhão de soldados . Para além deste reforço, especula-se que a Rússia possa receber drones militares do Irão, alerta o comentador SIC.

Últimas Notícias
Mais Vistos