Guerra Rússia-Ucrânia

Assembleia-Geral da ONU começa debate sobre anexação de territórios ucranianos pela Rússia

Assembleia-Geral da ONU começa debate sobre anexação de territórios ucranianos pela Rússia

Espera-se a votação de uma resolução que condene a ação de Moscovo.

A Assembleia-Geral das Nações Unidas (ONU) reúne-se a partir desta segunda-feira para discutir a anexação de territórios ucranianos pela Rússia, sendo esperada posteriormente a votação de uma resolução que condene a ação de Moscovo.

A reunião surge na sequência de um veto imposto por Moscovo numa resolução que foi a votos, no passado dia 30 de setembro, no Conselho de Segurança da ONU e que condenava os referendos organizados nas regiões de Donetsk, Lugansk, Kherson e Zaporijia, no leste e sul da Ucrânia, e a sua consequente anexação pela Federação Russa.

A convocatória desta reunião partiu oficialmente da Ucrânia e da Albânia, mas conta também com o claro impulso dos Estados Unidos, que já havia anunciado a sua intenção de apelar à Assembleia-Geral depois do veto da Rússia, um dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU (China, Estados Unidos, França, Rússia e Reino Unido).

Na Assembleia-Geral, nenhum país tem poder de veto, mas as resoluções do órgão têm menos peso do que as do Conselho de Segurança.

A Ucrânia e os seus aliados já recorreram a este órgão em março passado para condenar a invasão russa, iniciada em 24 de fevereiro, e obtiveram um apoio esmagador, de 141 dos 193 Estados-membros das Nações Unidas.

Na passada quinta-feira, a Rússia pediu que a votação da resolução na Assembleia-Geral da ONU fosse secreta.

O embaixador da Rússia junto da ONU, Vasily Nebenzya, disse, numa carta de seis páginas enviada a todos os outros embaixadores da ONU e obtida pela agência Associated Press (AP), que o conselho jurídico da ONU confirmou que uma votação secreta pode ser usada "na tomada de decisões".

Aparentemente, a Rússia espera obter um maior apoio por parte de alguns dos 193 Estados-membros da Assembleia-Geral se os votos não forem públicos.

A Assembleia-Geral anunciou que esta sessão especial sobre a Ucrânia terá início esta segunda-feira à tarde, quando o projeto de resolução - que procura condenar a "tentativa de anexação ilegal" das quatro regiões ucranianas e que irá exigir que Moscovo reverta imediatamente as suas ações - será apresentado.

Diplomatas disseram esperar que os discursos dos Estados-membros continuem na terça-feira, com uma votação da resolução a decorrer, provavelmente, na quarta-feira.

As votações de resoluções neste órgão são tradicionalmente públicas.

Últimas Notícias