Guerra Rússia-Ucrânia

Operadora ucraniana alega que russos prepararam "ato terrorista" em Zaporíjia

Operadora ucraniana alega que russos prepararam "ato terrorista" em Zaporíjia
STRINGER

A Energoatom "presume" que os russos "estão a preparar um ato terrorista, usando materiais nucleares e resíduos radioativos armazenados" em Zaporíjia.

A operadora de energia nuclear da Ucrânia disse esta terça-feira que responsáveis russos realizaram trabalhos secretos na última semana na central nuclear ocupada de Zaporíjia, com o alegado intuito de preparar um "ato terrorista".

De acordo com a Energoatom, os oficiais russos que controlam a zona não dão acesso à equipa ucraniana que administra a central ou a monitores do órgão de vigilância da Organização das Nações Unidas (ONU) para ver o que os militares estão a fazer.

A entidade estatal que controla as quatro centrais termoelétricas da Ucrânia adiantou que "presume" que os russos "estão a preparar um ato terrorista, usando materiais nucleares e resíduos radioativos armazenados" em Zaporíjia.

A Energoatom indicou que há 174 contentores combustível usado na instalação de armazenamento. Cada um dos contentores contêm 24 conjuntos de combustível nuclear usado.

"A destruição desses contentores como resultado de uma explosão poderá levar a um acidente de radiação e contaminação por radiação de várias centenas de quilómetros quadrados do território adjacente", disse a empresa.

A Energoatom encorajou a Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) a avaliar o que aconteceu. O Conselho de Segurança da ONU debateu esta terça-feira à porta fechada as acusações da Rússia, que afirma que a Ucrânia fabricou uma “bomba suja”, alegações rejeitadas por Kiev e pelo Ocidente.

O debate foi pedido pela Rússia, cujo embaixador, Vassili Nebenzia, enviou uma carta ao Conselho de Segurança e ao secretário-geral da ONU, António Guterres, em que insiste nas acusações à Ucrânia.

No final, o embaixador britânico junto da ONU, James Kariuki, disse esta terça-feira que as alegações russas de desenvolvimento pela Ucrânia de "bombas sujas" são apenas um novo capítulo na prolongada desinformação e propaganda Rússia.

Após uma reunião à porta fechada no Conselho de Segurança para debater as acusações russas, o diplomata do Reino Unido apresentou à imprensa alguns dos detalhes do encontro, indicando que ele, juntamente com os representes da França e dos Estados Unidos na ONU, "foram claros nas suas posições de que tudo não passam de alegações falsas" de Moscovo.

"São alegações falsas. Desinformação como a que vimos antes. Não foi apresentada nenhuma prova. A Ucrânia tem sido clara de que não tem nada a esconder e inspetores da Organização Internacional de Energia Atómica (OIEA) estão a caminho", disse Kariuki.

Últimas Notícias
Mais Vistos