Guerra Rússia-Ucrânia

Apoio à Ucrânia: EUA apelam aos países ocidentais para "irem mais além"

Zelensky discursa na reunião do grupo de contacto que decorre na base aérea norte-americana de Ramstein, na Alemanha.
Zelensky discursa na reunião do grupo de contacto que decorre na base aérea norte-americana de Ramstein, na Alemanha.
WOLFGANG RATTAY

Esta sexta-feira, 50 países que integram o grupo de contacto da Ucrânia reúnem-se na base norte-americana de Ramstein, na Alemanha, para decidir sobre a ajuda militar ao país.

Os Estados Unidos querem que os aliados ocidentais aumentem a ajuda militar à Ucrânia, num momento "crucial" do combate contra as tropas russas, afirmou esta sexta-feira o secretário de Estado norte-americano da Defesa.

"Precisamos de ir mais além, este é um momento decisivo para a Ucrânia", disse Lloyd Austin na abertura da reunião do grupo de contacto que decorre na base aérea norte-americana de Ramstein, na Alemanha.

"O povo ucraniano está a ver. O Kremlin está a ver, e a história está a olhar para nós", acrescentou Austin.

Hoje, meia centena de países, que integram o grupo de contacto da Ucrânia, reúnem-se na base norte-americana de Ramstein, na Alemanha, para decidir sobre a ajuda militar à Ucrânia. O grupo de contacto é liderado pelos Estados Unidos.

Os pedidos de Kiev concentram-se sobretudo nos blindados Leopard 2, de fabrico alemão.

EUA enviaram pacote de ajuda de 2.500 milhões de dólares

Em concreto sobre os Estados Unidos, o chefe de Estado ucraniano, Volodymyr Zelensky, agradeceu hoje ao presidente norte-americano, Joe Biden, o novo pacote de ajuda de 2.500 milhões de dólares frisando que se trata de um "apoio importante" para combater as forças russas.

"Obrigado 'POTUS' (acrónimo de Presidente dos Estados Unidos) por proporcionar à Ucrânia outro potente pacote de apoio à defesa, no valor de 2.500 milhões de dólares [cerca de 2.300 milhões de euros] ", escreveu Zelensky numa mensagem que divulgou através do Twitter.

Os blindados Stryker, Bradley e sistemas de defesa antiaérea Avenger "são uma ajuda importante na luta contra o agressor", acrescentou.

Que materiais vão os EUA enviar para a Ucrânia?

O Departamento de Defesa norte-americano anunciou que vai enviar para Kiev 59 carros de combate Bradley, 590 mísseis antitanque TOW e 295 mil munições de 25 milímetros. Washington vai abastecer a Ucrânia com oito sistemas de defesa antiaérea Avenger, 350 veículos Humvee, 20 mil peças de artilharia de 155 milímetros e 90 blindados Stryker, sendo que 20 estão munidos de equipamento de desminagem.