Operação e-toupeira

Benfica e Paulo Gonçalves acusados de corrupção no processo e-toupeira

Carl Recine

A informação foi revelada esta terça-feira no site da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa. O Benfica e Paulo Gonçalves foram acusados de corrupção no processo e-toupeira. Em causa estão os crimes de corrupção, recebimento indevido de vantagem, favorecimento pessoal, violação de segredo, entre outros. Além da SAD e do assessor jurídico do clube da Luz, a acusação foi deduzida contra dois oficiais judiciais.

Através do site da PGDL, o Ministério Público "requereu o julgamento em tribunal coletivo por factos apurados no âmbito do inquérito referente aos acessos ao sistema CITIUS", conhecido por "e-toupeira".

Revela ainda que acusou os oficiais de Justiça Augusto Silva e Júlio Loureiro, o assessor jurídico Paulo Gonçalves e a SAD do clube encarnado.

Em causa estão os crimes de corrupção passiva, corrupção ativa, oferta ou recebimento indevido de vantagens (e na pena acessória relativa ao regime de responsabilidade penal por comportamentos suscetíveis de afetar a verdade, a lealdade e a correção da competição e do seu resultado na atividade desportiva).

Favorecimento pessoal, violação do segredo de justiça, violação de segredo por funcionário, peculato, acesso indevido, violação do dever de sigilo e falsidade informática são os outros crimes imputados aos acusados.

Segundo a mesma nota, "ficou suficientemente indiciado que os arguidos com a qualidade de funcionários de justiça acederam a processos-crime pendentes no DIAP de Lisboa e do Porto e em outros tribunais, transmitindo as informações relevantes ao arguido colaborador da SAD".

O Ministério Público adianta que os processos tinham "por objeto investigações da área do futebol ou de pessoas relacionadas com este meio, ou de clubes adversários, seus administradores ou colaboradores".

"Tais pesquisas foram efetuadas fraudulentamente com a utilização de credenciais de terceiros, sem o seu conhecimento ou consentimento, por forma a obterem acessos encobertos, não detetáveis. Tais informações foram obtidas ilicitamente tendo como contrapartida benefícios indevidos para os funcionários e vantagens ilícitas no interesse da respetiva SAD."

De acordo com a nota, os crimes aconteceram durante as épocas desportivas de 2016/17 e 2017/18.

Um dos arguidos mantém-se em prisão preventiva, esclarece a PGDL.

  • “Tudo o que o Benfica ridicularizou afinal era verdade”
    4:57

    Desporto

    Ricardo Costa considera que existe de momento uma pressão judicial sobre a área do desporto. Para o diretor de Informação da SIC a justiça fará do e-toupeira um caso exemplar, afirmando ser “improvável” que não vá a julgamento e não acabe com pessoas condenadas. “O Benfica vai-se arrepender de tudo o que andou a dizer nos últimos meses”, afirma.

  • Quais as consequências para o Benfica?
    5:10

    Desporto

    O advogado de direito desportivo Lúcio Correia considera que a comprovar-se os indícios que suportam a acusação do Ministério Público à SAD do Benfica e a Paulo Gonçalves pode haver "consequências desportivas muito graves".

  • Lista de crimes sob suspeita (no Benfica) é extensa
    1:41

    Desporto

    A SAD do Benfica e o assessor Paulo Gonçalves foram acusados de corrupção ativa e passiva no processo E-toupeira. A acusação dirige-se também a dois funcionários judiciais. O Benfica considera que é uma acusação absurda e injustificada. A lista de crimes sob suspeita é extensa.

  • O que "tramou" o Benfica?

    Operação e-toupeira

    A operação e-toupeira surgiu na sequência de um telefonema anónimo para o coordenador da Polícia Judiciária e, desde então, foi descoberta uma alegada rede de informadores do Benfica no interior da Justiça. Os famosos emails e os oficiais de Justiça são as linhas de investigação tomadas pela PJ, que culminam agora com a acusação do Ministério Público contra Paulo Gonçalves, dois funcionários judiciais e a SAD do Benfica.

  • E-toupeira em debate
    37:35

    Desporto

    Jaime Antunes, antigo dirigente do Benfica, João Malheiro, adepto benfiquista, e os advogados Tiago Melo Alves e Lúcio Correia foram os convidados da Edição da Noite da SIC Notícias para analisar a acusação do Ministério Público à SAD do Benfica e ao assessor Paulo Gonçalves. Em causa está uma lista extensa de crimes de corrupção.