Orçamento do Estado

OE 2022: António Costa diz que crise política seria "completamente irracional"

Os velhos parceiros do Governo mantêm a intenção de votar contra do OE 2022.

A viabilização do Orçamento do Estado (OE2022) parece cada vez mais longe: depois das audiências com o Presidente da República, os velhos parceiros do Governo saíram de Belém a garantir que não têm sinais que permitam evitar o voto contra. António Costa diz que está a fazer figas.

O Bloco de Esquerda e o PCP saíram da reunião com Marcelo trazendo mais notícias para o futuro do OE 2022. Os dois partidos que têm viabilizado os Orçamentos reforçam a intenção de votar contra o documento.

Jerónimo de Sousa afirma que não podem “abdicar do que é central para a vida das pessoas”. Militantes do partido, contactados pelo jornal Expresso, afirmam que o PCP está disposto a deixar cair o Orçamento.

O PSD admite a crise política e anunciou que vai votar contra o orçamento. O PS insiste que o Governo mantém uma grande abertura negocial. António Costa tenta esvaziar o balão e afirma que uma crise política seria “completamente irracional”.

O orçamento é votado na generalidade no próximo dia 27. Se for chumbado, o Presidente da República já avisou que serão inevitáveis eleições no fim de janeiro.

► Veja mais: