Orçamento do Estado

Marcelo reconhece "esforço que está a ser feito" nas negociações do Orçamento 

Presidente da República diz que alternativa à viabilização do Orçamento seria a dissolução do Parlamento e que isso iria trazer "muitos custos" para o país.

O Presidente da República disse este domingo que continua a acreditar na viabilização do Orçamento do Estado para 2022.

Em declarações aos jornalistas, Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que a alternativa é a dissolução da Assembleia da República.

"No momento em que o Orçamento não passasse, passava-se imediatamente ao processo de preparação de dissolução."

O chefe de Estado reconheceu que a dissolução iria trazer "grandes custos" para o país: "Por isso, vejo com apreço o esforço que está a ser feito e que vai ser feito até ao último minuto".

"Do que me recordo dos últimos 6 anos, é talvez o ano que há mais alterações, fruto de um processo de negociação tão cedo, relativamente à proposta inicial do Governo. Algumas (alterações) são profundas."

As declarações do Presidente da República foram feitas este domingo, no mesmo dia em que o Bloco de Esquerda anunciou que vai votar contra o Orçamento se até quarta-feira "o Governo insistir em impor recusas onde a esquerda podia ter avanços".

Veja também: