TAP: o futuro e as polémicas

Greve na TAP foi desconvocada

Greve na TAP foi desconvocada
Armando Franca

Tripulantes da TAP estiveram reunidos em assembleia geral de emergência, depois de terem chumbado a proposta apresentada pela companhia aérea. A greve iria decorrer entre 25 e 31 de janeiro.

A greve na TAP foi, esta segunda-feira, desconvocada. Os tripulantes de cabine, que estiveram reunidos em assembleia geral de emergência, em Lisboa, decidiram deixar cair por unanimidade a greve de sete dias que estava prevista para os próximos dias.

Depois de mais de três horas de reunião, os tripulantes de cabine aceitaram a última proposta da administração.

A proposta apresentada pela TAP foi aprovada por maioria, com 654 votos a favor, 301 votos contra e 20 abstenções.

Em aberto estavam duas questões: as horas extraordinárias, que deixaram de estar sujeitas a um corte de 25% ao abrigo do plano de reestruturação, e a existência de mais um chefe de cabine nos voos de longo curso, uma questão que não foi acedida pela administração.

A assembleia geral de emergência foi convocada pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil, no sábado, depois dos tripulantes terem chumbado a proposta apresentada pela companhia aérea.

A greve iria decorrer entre 25 e 31 de janeiro e poderia cancelar mais de 1.300 voos. Teria ainda um prejuízo direto de 48 milhões de euros, o valor exato que a companhia diz ter destinado para atenuar os cortes salariais de todos os trabalhadores.

“Houve cedências de ambas as partes”, mas continuamos a luta

Ricardo Penarroias, presidente do Sindicado do Pessoal de Voo da Aviação Civil, reconhece que houve cedências de ambas as partes nas negociações desta segunda-feira com a administração.

Loading...

Em declarações aos jornalistas, diz que "esta etapa já passou", mas garante que as reivindicações vão continuar:

"Não vamos abdicar do plano de progressão de carreira de forma leviana (...). Entendemos que não pode haver contratos precários. É algo que vamos lutar até à exaustão".

"Se há lucros, consequentemente, tem de haver uma diminuição da rigidez", afirma.

Ricardo Penarroias considera ainda que o comunicado da empresa foi uma chantagem.

Últimas Notícias
Mais Vistos