Vacinar Portugal

Covid-19. Mais de 630 mil pessoas já têm a vacinação completa em Portugal

Stephane Mahe

Equivale a 6% da população.

Cerca de 632 mil pessoas têm a vacinação completa contra a covid-19 e mais de 1,5 milhões já receberam a primeira dose da vacina, segundo o relatório semanal da Direção-Geral da Saúde divulgado esta terça-feira.

De acordo com o relatório, ao todo, 632.242 pessoas já receberam as duas doses da vacina contra a covid-19, o que equivale a 6% da população de Portugal. A primeira dose foi administrada a 1.588.315 pessoas (15%).

Na última semana, 52.028 pessoas ficaram com a vacinação completa e mais 252.568 receberam a primeira dose.

Portugal já recebeu 2.684.460 vacinas contra a covid-19, das quais foram distribuídas 2.360.167 pelos postos de vacinação de todo o país.

VACINAÇÃO POR GRUPOS ETÁRIOS

Por grupos etários, cerca de 90% dos idosos com 80 ou mais anos (606.919 pessoas) já receberam a primeira toma da vacina e 51% (344 738) já têm a vacinação completa com as duas tomas.

No grupo entre os 65 e os 79 anos, 27% (436.576) já recebeu a primeira dose, enquanto apenas 3% (56.003) tem a vacinação completa contra a covid-19.

Na faixa entre os 50 e os 64 anos, 12% (267.454) foram vacinados com a primeira dose e 4% (83.574) receberam as duas doses.

VACINAÇÃO POR REGIÕES

Por regiões, no Norte já foram vacinadas 722.267 pessoas, 94.779 das quais na última semana, seguindo-se Lisboa e Vale do Tejo, onde 711.939 pessoas receberam a vacina (+105.531).

Já na região Centro, foram administradas vacinas a 464.527 pessoas, mais 59.440 do que na última semana, tendo sido vacinadas no Alentejo 141.935 (+18.217) e no Algarve 82.073 (+10.311).

Relativamente às regiões autónomas, a DGS avança que nos Açores já foram administradas 35.243 doses de vacina (+4.738) e na Madeira um total de 60.014 (+11.512).

Covid-19. Johnson&Johnson adia entregas de vacina na Europa após pausa nos EUA

A empresa norte-americana Johnson & Johnson anunciou esta terça-feira que vai atrasar a entrega da sua vacina contra a covid-19 para a Europa, depois dos Estados Unidos da América recomendarem "uma pausa" na administração da vacina.

O anúncio foi feito através de um comunicado no site da empresa, que garante que a prioridade é a "segurança e bem-estar" das pessoas que usam os seus produtos.

"Estamos cientes dos casos extremamente raros de coágulos sanguíneos, em combinação com contagens de plaquetas reduzidas, num pequeno número de indivíduos que receberam a nossa vacina contra a covid-19", adianta a empresa.

O Centro para Controlo e Prevenção de Doenças e a Food and Drug Administration (FDA) - entidade reguladora de alimentos e medicamentos dos Estados Unidos - estão a investigar seis casos relatados nos Estados Unidos, em mais de 6,8 milhões de doses administradas, segundo a Johnson&Johnson.

"Por precaução", as autoridades de saúde dos Estados Unidos recomendaram "uma pausa" para permitir investigar relatos de coágulos sanguíneos potencialmente associados à toma do fármaco.

Portugal deveria receber esta quarta-feira 30 mil vacinas contra a covid-19 da Janssen, a farmacêutica do grupo norte-americano Johnson & Johnson.

Até ao final do ano, está prevista a chegada de 4,5 milhões de doses desta vacina, que exige apenas uma toma e que pode ser armazenada até três meses num frigorífico normal, entre os 2ºC e os 8ºC.