Mundo

Finlândia isola Helsínquia para limitar propagação do novo coronavírus

Lehtikuva Lehtikuva

É a cidade com maior foco de contaminação no país.

A primeira-ministra finlandesa, Sana Marin, anunciou esta quarta-feira o isolamento de Helsínquia e toda a região envolvente, onde há o maior foco de contaminação no país, para limitar a propagação do novo coronavírus.

A governante, que falava em conferência de imprensa, precisou que as entradas e as saídas da região de Helsínquia, capital do país, vão estar proibidas a partir de sexta-feira e até 19 de abril.

Cerca de 1,7 milhões de pessoas, ou seja, um terço da população finlandesa vive nesta região, na província de Uusimaa, onde foram registados mais de 500 casos da covid-19.

O país conta oficialmente com 880 pessoas infetadas. Três morreram, mas apenas os pacientes de alto risco foram testados.Segundo as autoridades locais, o número de infetados poderá ser 30 vezes superior.

Na semana passada, Sana Marin decretou o estado de emergência no país, motivo pelo qual as fronteiras foram fechadas aos não residentes e foram proibidos os ajuntamentos com mais de 10 pessoas.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 450 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 20.000.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu, com cerca de 240.000 infetados, é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, com 7.503 mortos em 74.386 casos registados até hoje.

SIGA AQUI AO MINUTO AS ÚLTIMAS INFORMAÇÕES SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Veja também:

  • Governo admite aumento de pressão sobre os hospitais

    Coronavírus

    No dia em que o balanço da Direção Geral de Saúde dá conta de 311 mortes e 11.730 casos de Covid-19 em Portugal, o Governo admite que aumentou a pressão sobre os hospitais. Esta segunda-feira, ficou ainda a saber-se que o País já tem um mapa de risco de infeção por coronavírus. Em Londres, o primeiro-ministro britânico Boris Johnson está internado nos cuidados intensivos. Em Espanha, o número de óbitos desceu pelo quarto dia consecutivo. Já os Estados Unidos ultrapassaram as 10 mil mortes. A pandemia do novo coronavírus já matou, desde dezembro, 73.139 pessoas e infetou mais de 1,3 milhões em todo o mundo.

    SIC Notícias