Mundo

Astrónomos acreditam ter visto o nascimento de um planeta

O disco em torno da estrela jovem AB Aurigae. Próximo do centro da imagem, na região interior do disco, vemos um "nodo" (a amarelo muito brilhante) que os cientistas acreditam marcar o local onde se está a formar um planeta.

ESO/Boccaletti et al

Num jovem sistema planetário a 520 anos-luz de distância da Terra.

Em torno de uma jovem estrela a 520 anos-luz está um sistema planetário em formação. E os astrónomos acreditam ter visto sinais de um planeta bebé em formação.

Com o potente Very Large Telescope (VLT) do Observatório Europeu do Sul (ESO), situado no Observatório do Paranal, no Chile, uma equipa de astrónomos observou que, em redor da estrela AB Aurigae, existe um disco denso de gás e poeira.

Lá dentro, descobriram uma estrutura em espiral proeminente com um "nodo" que marca o lugar onde se pode estar a formar um planeta, avança o ESO, uma organização europeia intergovernamental para a investigação em Astronomia de que Portugal faz parte.

"Os planetas nascem da aglomeração de poeira e gás frio em discos de poeira situados em torno de estrelas jovens, como a AB Aurigae", explica Anthony Boccaletti do Observatoire de Paris, PSL University, França, que liderou este estudo, publicado na revista Astronomy & Astrophysics.

“Precisamos de observar sistemas muito jovens para capturar o momento em que os planetas se formam” diz Boccaletti.

Imagens do sistema AB Aurigae onde se vê o disco que o rodeia. A imagem da direita, uma aproximação à parte central da imagem da esquerda, mostra a região interna do disco. Nesta região podemos ver o "nodo" (a amarelo muito brilhante) que os cientistas acreditam marcar o local onde se está a formar um planeta. Esta estrutura situa-se aproximadamente à mesma distância da estrela AB Aurigae que Neptuno do Sol.As imagens foram obtidas com o instrumento SPHERE montado no Very Large Telescope do ESO em luz polarizada.

Imagens do sistema AB Aurigae onde se vê o disco que o rodeia. A imagem da direita, uma aproximação à parte central da imagem da esquerda, mostra a região interna do disco. Nesta região podemos ver o "nodo" (a amarelo muito brilhante) que os cientistas acreditam marcar o local onde se está a formar um planeta. Esta estrutura situa-se aproximadamente à mesma distância da estrela AB Aurigae que Neptuno do Sol.As imagens foram obtidas com o instrumento SPHERE montado no Very Large Telescope do ESO em luz polarizada.

ESO/Boccaletti et al.

Nas imagens observa-se uma espiral de gás e poeira em torno do sistema AB Aurigae que está situado a cerca de 520 anos-luz de distância da Terra na constelação do Cocheiro.

"Espirais deste tipo assinalam a presença de planetas bebés, que 'pontapeiam' o gás criando assim perturbações no disco sob a forma de ondas, um pouco como a esteira de um barco num lago”, explica Emmanuel Di Folco do Laboratório de Astrofísica de Bordeaux (LAB), que também participou no estudo.

A região interna do disco que rodeia o sistema AB Aurigae, a amarelo muito brilhante, é qiue é o local que os cientistas acreditam ser onde se está a formar um planeta.

Este novo planeta em formação está aproximadamente à mesma distância da estrela AB Aurigae que Neptuno do Sol.

Telescópios cada vez mais poderosos

As novas imagens foram obtidas com o poderoso sistema de imagem do instrumento SPHERE montado no Very Large Telescope do ESO, o observatório astronómico óptico mais avançado do mundo.

Atualmente está a ser construído no Cerro Armazones, próximo do Paranal, o ainda mais poderoso Extremely Large Telescope (ELT) de 39 metros de diâmetro que será “o maior olho do mundo virado para o céu” e permitirá aos astrónomos obter imagens ainda mais detalhadas de planetas em formação.

”Deveremos ser capazes de ver diretamente e mais precisamente como é que a dinâmica do gás contribui para a formação dos planetas”, conclui Boccaletti.

Este trabalho de uma equipa internacional de astrónomos, intitulado “Are we witnessing ongoing planet formation in AB Aurigae? A showcase of the SPHERE/ALMA synergy”, foi publicado hoje na revista da especialidade Astronomy & Astrophysics.

Esta imagem de grande angular mostra a região do céu, na constelação do Cocheiro, onde se situa AB Aurigae. A imagem foi criada a partir de dados do Digitized Sky Survey 2.

Esta imagem de grande angular mostra a região do céu, na constelação do Cocheiro, onde se situa AB Aurigae. A imagem foi criada a partir de dados do Digitized Sky Survey 2.

ESO/Digitized Sky Survey 2. Acknowledgement: Davide De Martin