Mundo

Este foi o segundo julho mais quente em 140 anos

Dominic Ebenbichler/ Reuters

Esteve apenas a 0,01ºC de igualar o julho mais quente de sempre.

Julho de 2020 foi, a par de julho de 2016, o segundo julho mais quente desde que há registos de temperatura a nível mundial, que remontam a 1880, divulgou esta quinta-feira a agência meteorológica dos Estados Unidos.

Segundo a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA), a temperatura global da superfície da terra e do mar esteve em julho último 0,92ºC acima da média verificada durante o século XX (15,8ºC), fazendo do mês passado o segundo julho mais quente em 140 anos, igualando julho de 2016.

A 0,01ºC do julho mais quente de sempre

Os dados mensais da NOAA sobre o clima à escala global revelam que julho de 2020 esteve apenas a 0,01ºC de igualar o julho mais quente, de 2019.

No Hemisfério do Norte, a temperatura da superfície da terra e do mar foi em julho de 2020 a mais quente para o mês de julho, com um recorde de 1,18ºC acima da média.

O leste do Canadá, o norte do Pacífico, o nordeste e sudoeste dos Estados Unidos, a Ásia ocidental e o leste da Antártida registaram uma temperatura pelo menos 2ºC superior à média para o mês de julho.

De acordo com o relatório da NOAA, a extensão da massa de gelo no oceano Ártico foi em julho de 2020 a mais pequena para este mês - menos 23,1% do que a média verificada no período de referência (1981-2010).

No oceano Antártico, a extensão de gelo registada em julho deste ano foi a nona mais pequena para este mês, ao estar 1,9% abaixo da média de 1981-2010.

Em sete meses, temperatura foi a segunda mais elevada

Nos sete meses de 2020, a temperatura global da superfície da terra e do mar foi a segunda mais elevada desde 1880, superando em 1,05ºC a média registada no século XX (13,8ºC). O recorde pertence a 2016.

Entre janeiro e julho, as temperaturas estiveram 2,0ºC acima da média no norte da Ásia.

Julho foi o mês mais quente desde que há registo em Portugal

Em Portugal continental, segundo estatísticas do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), o mês de julho de 2020 foi o mais quente em 89 anos, com o valor médio da temperatura máxima do ar a atingir os 33,34ºC.

O boletim mensal climatológico do IPMA refere que julho foi um mês "extremamente quente" no território continental, tendo contribuído para que os sete meses do ano (janeiro a julho) fossem os mais quentes desde 1931, com a temperatura média a atingir os 15,96ºC (+1,51ºC do que o normal).

Veja também:

  • Medo, solidão e falta de afetos: como a pandemia lhes mudou a vida

    Coronavírus

    No Dia Internacional do Idoso, contamos a história de duas pessoas que têm em comum a solidão. A de Zulmira Marques, de 92 anos. Há 6 meses era alegre e passeava com as amigas quase todos os dias. Depois veio a pandemia e ficou “completamente sozinha” durante três meses. Agora não quer sair de casa. Tem vários medos. A outra é a de Maria do Céu. Morreu em junho, aos 87 anos. Os últimos dias de vida foram passados numa cama de hospital. Não pôde despedir-se das duas filhas.

    Rita Rogado