Mundo

China lança o primeiro módulo da sua estação espacial

Maqueta da Tiangong - Palácio Celestial

Tingshu Wang / Reuters

Palácio Celestial não tem calendário definido para a conclusão.

A China lançou hoje o primeiro dos três módulos da sua futura estação espacial Tiangong - Palácio Celestial, cuja construção exigirá até o final de 2022 cerca de dez missões.

Foguetão Long March 5B

Foguetão Long March 5B

cnsa.gov.cn

O módulo central Tianhe - Harmonia Celestial -, a futura casa dos astronautas, foi levado por um foguetão "Longa Marcha 5B" a partir do centro de lançamento de Wenchang, na ilha tropical de Hainan (sul), de acordo com a televisão CCTV. e a Agência Espacial Chinesa.

Quando estiver pronta, a Tiangong - Palácio Celestial - funcionará numa órbita terrestre baixa entre 340 e 450 km de altitude.

Semelhante à antiga estação russo-soviética Mir (1986-2001), a sua vida útil será de 10 a 15 anos.

“Servirá de base para operações de maior escala: missões tripuladas à Lua, turismo espacial, ciência espacial ou para aplicações concretas para humanos”, s Chegundoen Lan, analista do site GoTaikonauts.com, especializado no programa espacial chinês, citado pela AFP.

Uma vez terminada, a estação espacial chinesa deverá pesar quase 100 toneladas - cerca de três vezes mais pequena que a Estação Espacial Internacional (ISS).

O módulo Tianhe lançado hoje será o elemento central da futura estação e posto de controlo. Para finalizar a construção da estação, a China deve lançar cerca de dez missões até ao final de 2022, algumas delas tripuladas.

Não foi divulgado nenhum calendário concreto, mas as próximas etapas deverão ser: o lançamento de uma nave de carga Tianzhou-2 em maio. De seguida, em junho, deverá ser lançada a missão tripulada "Shenzhou 12" com astronautas a bordo

As ambições espaciais da China

Nos últimos 17 anos, a China tem apostado no programa espacial para se tornar numa potência mundial na próxima década, a par dos Estados Unidos e da Rússia.

A China já participa na Estação Espacial Internacional, enviou no ano passado uma sonda para Marte que entrou na órbita do planeta vermelho em fevereiro deste ano, está a construir a sua própria estação espacial e quer enviar os seus próprios astronautas até à Lua para onde já lançou com uma sonda com sucesso que pousou no lado oculto da Lua.