Mundo

Primeiro-ministro britânico urge moderação "urgente" a Israel e palestinianos

ANDY RAIN

Pelo menos 35 pessoas foram mortas nos ataques israelitas em Gaza e outras cinco morreram em Israel.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, apelou esta quarta-feira à "moderação" de Israel e palestinianos, manifestando-se "muito preocupado" com "o aumento da violência e vítimas" e pedindo uma redução urgente dos confrontos.

"Exorto Israel e os palestinianos a recuarem da beira do precipício e ambos os lados a exercerem moderação. O Reino Unido está muito preocupado com o aumento da violência e das vítimas civis e queremos que as tensões acalmem com urgência", escreveu, na rede social Twitter.

Desde segunda-feira à noite, "mais de mil mísseis" foram disparados de Gaza, dos quais 850 foram intercetados pelo escudo antimíssil ou atingiram território israelita e 200 caíram no enclave palestiniano, indicou o porta-voz do exército israelita, Jonathan Conricus.

Pelo menos 35 pessoas foram mortas nos ataques israelitas em Gaza e 230 ficaram feridas, indicaram as autoridades palestinianas. Em Israel, além dos cinco mortos, há registo de dezenas de feridos.

A violência surgiu, em parte, devido à ameaça de expulsões de palestinianos de Jerusalém Oriental em benefício dos colonos israelitas.

Dos confrontos iniciais entre manifestantes palestinianos e polícias israelitas, particularmente em redor da mesquita de Al-Aqsa, seguiram-se os ataques com foguetes do Hamas contra o Estado judeu e a resposta das forças de defesa israelitas contra a Faixa de Gaza.

Veja também: