Mundo

William e Harry inauguram estátua em homenagem à princesa Diana

POOL New

O objetivo da escultura é refletir "o afeto, a elegância e energia" da princesa, refletindo o trabalho dela e impacto que teve em várias áreas.

Os príncipes William e Harry inauguraram esta quinta-feira juntos uma estátua em homenagem à mãe, Princesa Diana, nos jardins do Palácio de Kensington, em Londres, no dia em que ela completaria 60 anos.

Morreu aos 36 anos num acidente de viação em Paris em 1997, quando os filhos tinham 15 e 12 anos, respetivamente, a princesa estava divorciada há um ano do príncipe Carlos, herdeiro do trono.

A cerimónia foi privada e discreta, limitada a 30 pessoas devido às restrições da pandemia covid-19, e implicou que o príncipe Harry tivesse de cumprir quarentena após a viagem dos Estados Unidos, onde vive com a família.

A estátua, que mostra a Princesa acompanhada por duas crianças, é da autoria de Ian Rank-Broadley, encomendada em 2017 pelos dois irmãos, e vai ficar numa parte rebaixada dos jardins do palácio, onde Diana residiu, que seria um dos seus locais favoritos.

O objetivo da escultura é refletir "o afeto, a elegância e energia" da princesa, refletindo o trabalho dela e impacto que teve em várias áreas, incluindo na campanha pela remoção de minas terrestres em Angola, refere um comunicado.

O jardim foi redesenhado com um novo relvado e novos canteiros de flores, incluindo rosas, verónicas, tulipas, dálias e alfazema.

Membros da família de Diana estiveram presentes, bem como a mulher de William, Katherine, mas não o príncipe Carlos nem a mulher de Harry, Meghan, que deu à luz recentemente da segunda filha do casal, Lilibet.

A chamada "Princesa do Povo" já tinha tido outras homenagens, nomeadamente o Diana Memorial Fountain, uma fonte de água no Hyde Park reaberta hoje após algum tempo encerrada, e o parque infantil Diana Memorial Playground, em Kensington Gardens.

Mais de 24 anos após sua morte, o culto à "Lady Di", continua vivo: um carro que lhe pertenceu foi leiloado por cerca de 60.000 euros esta semana e ainda é considerada um ícone da moda, sendo os seus vestidos regularmente motivo de exposições.

Para além da homenagem à mãe, a imprensa britânica e comentadores têm salientado o evento como uma oportunidade para os dois irmãos apaziguarem a crise causada pela saída de Harry das suas funções como membro da família real e pelas revelações surpreendentes que fez durante uma entrevista com Meghan Markle à apresentadora norte-americana Oprah Winfrey, transmitida em março.

O duque e a duquesa de Sussex chocaram sobretudo ao sugerir que um dos membros da família teria feito um comentário racista ao questionar, antes do nascimento, sobre a cor da pele do primeiro filho do casal, Archie.

Os membros da família real "absolutamente não são racistas", respondeu o príncipe William, questionado pouco depois durante um evento oficial.

Os dois irmãos reuniram-se brevemente em abril, durante o funeral do príncipe Filipe, marido da rainha Isabel II.

Veja também:

  • Merkel: mãe e verbo da Alemanha moderna

    Angela Merkel

    Carinhosamente chamada pelos alemães de "Mutti" (mãe), protagonizou um estilo único de fazer política na Alemanha. Não era uma grande oradora, nem fazia discursos inspiradores, mas a postura pragmática valeu-lhe respeito e admiração. "Merkeln" passou a ser verbo na Alemanha, em alusão à forma como a chanceler toma decisões.

    Ana Luísa Monteiro