Mundo

Defesa dos portugueses acusados de violação em Espanha vai recorrer das medidas de coação

Os dois jovens que ficaram em liberdade já estão em Portugal.

Dois dos quatros portugueses acusados de violação em Espanha estão em prisão preventiva. Os outros dois ficaram em liberdade, estando proibidos de contactar com as vítimas, e já regressaram a Portugal. O advogado de defesa insiste que o ato foi consensual e vai recorrer da decisão.

É no centros penitenciário das Astúrias que os dois jovens vão permanecer até ao inícios dos julgamentos ou até que haja uma decisão quanto ao recurso que a defesa vai apresentar. Se a libertação com pagamento de uma fiança for negada, a defesa vai tentar pedir a transferência para uma prisão em Portugal, com apresentação em Espanha sempre que as autoridades o exigirem.

Os dois portugueses acusados de agressão e abuso sexual chegaram ao centro penitenciário ao final da tarde desta segunda-feira, depois de dois dias de interrogatório. A juíza decretou a medida de coação mais gravosa – prisão preventiva – por considera que existe perigo de fuga.

Os quatro jovens são naturais de Braga e estavam de férias em Espanha. Gijon era a última paragem do itinerário. O encontro entre um dos jovens com as duas espanholas terá acontecido junto a um bar. Horas depois, as alegadas vítimas apresentaram queixa na polícia.

A defesa insiste que o ato foi consensual e que há um vídeo que comprovara isso. O advogado entende que não houve violência ou intimidação, mas admite que a haver responsabilidade criminal não será igual para todos.

Veja mais: