Mundo

Facebook diz que apagão foi erro interno

JOHANNA GERON

Afasta hipótese de ataque informático.

O Facebook excluiu na terça-feira a hipótese de o "apagão" mundial dos seus serviços na segunda-feira, durante seis horas, se ter devido a um ataque informático e atribuiu-o a um erro técnico causado pela própria empresa.

Num blogue da empresa o vice-presidente de infraestruturas da rede social Facebook, Santosh Janardhan, afirmou que os serviços não ficaram inativos por atividade maliciosa. Foi por "um erro causado por nós próprios", disse.

Segundo a empresa de Menlo Park, cidade da Califórnia, os esforços que têm sido feitos nos últimos anos para proteger os sistemas de possíveis ataques externos foram uma das causas que fizeram demorar o tempo de resposta para resolver o problema.

"Acredito que se o preço a pagar por uma maior segurança do sistema no dia-a-dia é uma recuperação mais lenta dos serviços, vale a pena", disse Santosh Janardhan no blogue.

A quebra do Facebook e das restantes aplicações levou o Telegram, um serviço de mensagens instantâneas (como o WhatsApp) a receber mais de 70 milhões de novas adesões, disse hoje o fundador da rede, o russo Pavel Dourov.

O número de 70 milhões, em apenas um dia, levou o responsável a dizer que foi "um aumento recorde no número de adesões" e que estava orgulhoso da equipa que soube lidar com esse crescimento sem precedentes.

Na segunda-feira o serviço de mensagens Telegram passou de 56.º para 5.º lugar das aplicações gratuitas mais descarregadas nos Estados Unidos, segundo a empresa especializada SensorTower.

Outras redes como o Twitter também viram um maior afluxo de utilizadores.

Zuckerberg perde mais de 5 mil milhões de euros devido a apagão

O apagão causou, por exemplo, uma queda de 5% por cento nas ações do Facebook, o que significou um prejuízo de mais de 5 mil milhões de euros a Mark Zuckerberg, patrão da empresa norte-americana.

Facebook, Instagram e Whatsapp não funcionaram durante o final de tarde e início de noite desta segunda-feira. Um apagão inesperado que durou quase 7 horas.

Luís António Santos, investigador da Universidade do Minho, explica à SIC o impacto deste apagão.

O Facebook por causa deste incidente viu as ações caírem 5% na bolsa americana e isso fez o fundador, Mark Zuckerberg, perder num só dia mais de 5 mil milhões de euros.

O gigante tecnológico norte-americano tem visto a cotação nos mercados cair nos últimos tempos.

No domingo, uma ex-funcionária acusou a empresa de mais de mentir em relação ao controlo dos conteúdos de ódio, violência e desinformação e, por causa disso, houve quem pensasse que este apagão de segunda-feira pudesse estar relacionado com esse escândalo.

VEJA MAIS: