Mundo

Milhares marcham em Washington em apoio aos protestos no Irão

Milhares marcham em Washington em apoio aos protestos no Irão
Jose Luis Magana

Milhares de pessoas, muitas delas iranianas, marcharam pela capital norte-americana, Washington, em apoio aos protestos no Irão e até à Casa Branca, entoando o slogan: "Mulheres, Vida, Liberdade".

Milhares de pessoas, muitas delas iranianas, marcharam pela capital norte-americana, Washington, em apoio aos protestos no Irão e até à Casa Branca, entoando o slogan: "Mulheres, Vida, Liberdade".

A marcha, que partiu ao final da tarde de sábado, do National Mall, no centro de Washington, reuniu "mais de 10 mil" pessoas, estimou um dos organizadores, Siamak Aram, à agência France-Presse (AFP).

"Este é o quinto protesto semanal que fazemos em Washington e acho que é o maior", acrescentou Aram, sublinhou que alguns dos manifestantes vieram de outras cidades americanas.

Foi o caso de Mahshid, 28, que veio de Boston, a 400 quilómetros da capital, vestindo uma t-shirt verde na qual estava estampado o slogan: "Ajude a libertar o Irão".

"Não queremos mais esse regime tirano, que nos proíbe de usufruir dos nossos direitos humanos e da nossa liberdade", declarou o arquiteto, que deixou o Irão há três anos.

Uma outra jovem segurava uma placa com uma madeixa de cabelo e uma mensagem: "O nosso cabelo pode incomodar-vos, mas o nosso espírito vai acabar convosco".

No sábado, manifestações de apoio também ocorreram em Berlim e Tóquio.

Protestos pelo mundo contra a morte de Mahsa Amini

Há mais de um mês que as autoridades iranianas enfrentam protestos contra a morte de uma jovem, detida pela polícia dos Costumes por alegadamente ter violado o código de vestuário islâmico no Irão, onde os véus são obrigatórios para todas as mulheres em espaços públicos.

Mahsa Amini, de 22 anos, foi detida em Teerão a 13 de setembro e morreu três dias depois, o que desencadeou uma série de manifestações e uma onda de indignação internacional.

As autoridades iranianas têm respondido com violência aos protestos, onde muitas mulheres participaram sem o véu e entoaram slogans contra o governo.

Dezenas de pessoas, principalmente manifestantes mas também membros das forças de segurança, foram mortas durante os protestos e há centenas de pessoas, incluindo mulheres, que foram presas, diz a AFP, sem apresentar números concretos.

Segundo o governo do Irão, os protestos, que incluem também o fecho de vários estabelecimentos, está a ser orquestrado pelos Estados Unidos.

"Os americanos continuam a trocar mensagens connosco, mas estão a tentar agitar" o movimento de protesto, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Hossein Amir-Abdollahian, durante uma visita à Arménia, num vídeo divulgado no sábado pelo seu ministério.

Os Estados Unidos "estão a tentar exercer pressão política e psicológica sobre o Irão para obter concessões nas negociações nucleares", acrescentou, referindo-se às conversações indiretas entre Teerão e Washington, mediadas pela União Europeia.

Últimas Notícias
Mais Vistos