País

Quem precisa de ajuda agora é o Miguel

Campanha de financiamento já conta com mais de 39 mil euros.

Miguel Duarte está a ser investigado pela justiça italiana por ajuda à imigração ilegal. O português, de 24 anos, voluntário numa ONG alemã que resgata refugiados no Mediterrâneo, enfrenta até 20 anos de prisão.

A história do jovem tem levantado questões sobre direitos humanos e gerado uma onda de solidariedade nas redes sociais. Esta quarta-feira Miguel esteve reunido com o Partido Socialista (PS) e com deputados portugueses ao Conselho da Europa.

Segundo o Presidente da República, deverá realizar-se em breve uma reunião entre Miguel Duarte e o Governo.

As reações

Em resposta ao pedido de Miguel de “solidariedade de toda a gente”, nomeadamente institucional, são várias as figuras políticas que têm manifestado apoio.

Na terça-feira, o MNE já tinha dito que é preciso respeitar quem salva vidas.

Hoje, já depois das reuniões, Carlos César, líder parlamentar do PS, pediu ao presidente da Assembleia da República para enviar uma mensagem forte ao Parlamento italiano. Defende que o Estado português deve entender a Europa como um espaço humanista.

Também a deputada socialista Ana Catarina Mendes, presidente da delegação parlamentar do Conselho da Europa, garante apoio ao jovem, dizendo que "salvar vidas não pode ser crime".

Esta manhã, numa declaração escrita enviada ao Observador, Marcelo Rebelo de Sousa manifestou louvou ao comportamento de Miguel Duarte. Considera que "defender a vida é uma obrigação para o direito português" e estranhou que não o seja "para outros direitos".

"Nem percebo aquilo de que se está a falar, porque no direito português, se alguém se encontra em situação de risco de vida, quem tenha possibilidade de salvar a vida tem o dever de auxiliar".

O Chefe de Estado garantiu que está a acompanhar "tudo o que deva ser feito para apoiar" na defesa de Miguel Duarte, porque se trata de "defender princípios e valores básicos, defender a vida".

O apoio

Nos últimos dias, o Governo já fez saber que será garantido todo o apoio a este jovem. Entretanto, foi lançada pela plataforma HuBB - Humans Before Borders uma campanha de 'crowdfunding', que pretendia angariar 10 mil euros para apoiar a defesa do estudante português.

Até ao momento, a campanha desenvolvida através da página de financiamento colaborativo PPL, conta já com mais de 39 mil euros.