País

Incêndios em Castelo Branco mobilizam mais de 900 operacionais

Sertã

D.R.

Vento forte dificulta combate às chamas.

Vários incêndios deflagraram este sábado, em Vila de Rei e na Sertã, no distrito de Castelo Branco, mobilizando mais de 900 operacionais.

Quatro bombeiros ficaram feridos, um deles em estado grave, no combate aos incêndios, avançou a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil.

Às 22:49, o incêndio em Vila de Rei mobilizava 552 operacionais, apoiados por 171 veículos. Já na Sertã, nos três incêndios estavam 403 operacionais e 124 veículos.

Uma frente do fogo que atinge o concelho de Vila de Rei entrou "com bastante violência" no concelho de Mação. O responsável pela Proteção Civil de Mação, António Louro, adiantou à Lusa que se trata de uma frente de fogo com oito quilómetros.

A repórter da SIC Madalena Ferreira esteve na Sertã, onde deu conta que o incêndio que obrigou à evacuação da praia do Bostelim, em Vila de Rei, continua a progredir e a apanhar localidades muito próximas, como as aldeias de Monte Novo, Cabeça do Poço e Chão da Telha.

"A casa não ardeu porque eu a minha mulher defendemos tudo"

Moradores de Vila de Rei tiveram de agir para conter as chamas.

"Temos o fogo dentro de casa não tarda"

Uma das moradoras de Chão da Telha, Maria João Caldeira, criticou a falta de bombeiros e meios aéreos, e lembrou o incêndio de 2003 naquela zona.

O repórter da SIC Nélson Mateus esteve em Vila de Rei, onde deu conta que a situação é "muito complexa", porque os incêndios estão muito perto uns dos outros.

As imagens captadas no centro de Vila de Rei mostram uma enorme coluna de fumo.

Forças Armadas apoiam Proteção Civil em Castelo Branco

As Forças Armadas vão enviar quatro máquinas de rasto e 20 militares para apoiar a Proteção Civil no combate aos incêndios.

"Na sequência do grande incêndio que assola neste momento o distrito de Castelo Branco, as Forças Armadas vão empenhar quatro máquinas de rasto, três do Exército e uma da Força Aérea, para apoiarem na abertura de caminhos que facilitem o acesso dos operacionais que combatem o fogo", refere o Estado-Maior General das Forças Armadas (EMGFA), em comunicado divulgado na sua página da internet.

Sertã

Sertã

D.R.

Vento forte dificulta combate às chamas em Castelo Branco