País

Mais de 40 comerciantes da freguesia de Amora vão fechar portas durante o Avante!

(Arquivo)

MÁRIO CRUZ

"Prefiro fechar três dias, ainda que com sacrifício, do que fechar três semanas."

Mais de 40 comerciantes da zona envolvente à Quinta da Atalaia, na freguesia de Amora, Seixal, vão encerrar os seus estabelecimentos durante a Festa do Avante!, por "precaução" e para "mitigar o risco" de contágio pelo novo coronavírus.

Em declarações à agência Lusa, Maria Carvalho, responsável pela cozinha do Restaurante Rota dos Petiscos Terra e Mar, estabelecimento que deu início ao "movimento", afirmou este domingo ter apelado ao "bom senso dos comerciantes para que encerrassem portas", entre 04 e 06 de setembro, dias em que decorre a 44.ª edição da Festa do Avante!.

"Prefiro fechar três dias, ainda que com sacrifício, do que fechar três semanas", sustentou Maria Carvalho, acrescentando que a "movimentação de pessoas durante 'o Avante!' envolve toda a freguesia de Amora, e não apenas a Quinta da Atalaia", onde decorre o evento anual organizado pelo PCP.

Por precaução e para "mitigar o risco" de contágio pelo novo coronavírus, Maria Carvalho avançou que são já mais de 40, os comerciantes que vão encerrar os seus estabelecimentos, entre os quais agências imobiliárias, oficinas de automóveis, cabeleireiros, ginásios, restaurantes e pastelarias.

"Esta decisão não tem nenhuma conotação político-partidária. Não tenho nada contra a Festa do Avante", assegurou a cozinheira, que, juntamente com os filhos, marido e noras, gere o Restaurante Rota dos Petiscos Terra e Mar, e que optou por "salvaguardar a família".

À Lusa, Maria Carvalho afirmou ainda que são também "vários os moradores" de Amora, no concelho de Seixal, distrito de Setúbal, que ponderam sair de casa durante os dias da Festa do Avante! por não quererem "correr riscos de saúde pública".

Devido à pandemia da covid-19, a 44.ª edição da Festa do Avante!, que se realiza de 4 a 6 de setembro, conta este ano com um terço da lotação (33 mil pessoas).

Veja também: