País

"Preocupa-me a forma como vão reagir". Filhos de Ihor Homeniúk ainda não sabem como o pai morreu

Exclusivo SIC

Veja aqui a entrevista exclusiva da viúva do ucraniano morto no aeroporto de Lisboa. 

O Governo anunciou esta quinta-feira que o Estado português vai pagar uma indemnização à família do cidadão ucraniano que foi morto em 12 de março em instalações do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) no aeroporto de Lisboa. Em entrevista exclusiva à SIC, a viúva de Ihor Homeniúk confessou que tem dúvidas de que venha a receber qualquer tipo de apoio do Estado português e pergunta onde é que esteve Marcelo Rebelo de Sousa durante todos estes meses.

"Se calhar, eles querem mostrar à sociedade que são muito bons. Mas, se isso se vai realizar ou não, eu não sei", confessa Oksana Homeniúk, não acreditando que vá receber a indemnização.

Para a viúva, voltar a confiar em Portugal vai exigir tempo e ações concretas: "Depois do que aconteceu, já não acredito muito nas pessoas e no que elas dizem."

A professora de 48 anos recebe um apoio de cerca de 100 euros do estado ucraniano. E é com a ajuda das horas extra que faz na escola onde trabalha que consegue sustentar os dois filhos, que ainda não sabem a verdade sobre a morte do pai.

"Penso em como contar-lhes isto e preocupa-me a forma como eles vão reagir."