País

Associação de Municípios lamenta morte de Jorge Coelho: "alma do PS" e "um homem solidário"

ANTÓNIO COTRIM

O histórico socialista morreu esta quarta-feira, vítima de ataque cardíaco.

A Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) lamentou a morte de Jorge Coelho, destacando-o como a alma do Partido Socialista, um homem solidário e um empresário e gestor de sucesso.

Em comunicado, a ANMP, liderada por Manuel Machado, lamentou a morte súbita de Jorge Coelho na quarta-feira e apresentou as "mais sentidas condolências à família".

"Jorge Coelho foi um destacado político, a alma do Partido Socialista, um dos mais estimados dirigentes do partido, um homem solidário", refere a ANMP na nota.

Destaca igualmente que Jorge Coelho foi um "empresário e um gestor de grande sucesso, uma força capaz de vencer os mais difíceis obstáculos, um espírito de tolerância que o tornaram um homem e um político mobilizador de vontades em prol do país".

Natural de Mangualde, no distrito de Viseu, Jorge Coelho, morreu quarta-feira, aos 66 anos, na sequência de um ataque cardíaco fulminante, quando se encontrava na Figueira da Foz, Coimbra.

Jorge Coelho foi ministro de três pastas nos governos de António Guterres: ministro Adjunto, ministro da Administração Interna e ministro da Presidência e do Equipamento Social.

A partir de 1992, com Guterres na liderança, Jorge Coelho foi secretário nacional para a organização, contribuindo para a vitória eleitoral dos socialistas nas legislativas de outubro de 1995.

  • 2:07