País

"Descrição de factos tem alguma gravidade", reconhece advogado de Vieira

Sobre as declarações na Comissão de Inquérito ao Novo Banco, Magalhães e Silva garante que não são prejudiciais para Luís Filipe Vieira.

Magalhães e Silva, advogado de Luís Filipe Vieira, reconhece que a descrição de factos tem alguma gravidade. No entanto, diz ter "sérias dúvidas" se as suspeitas correspondem à realidade.

Em declarações aos jornalistas, em direto do Comando Metropolitano de Lisboa, em Moscavide, a defesa do presidente do Benfica recusou responder a algumas questões e repetiu que o processo está sob segredo de Justiça.

"Os arguidos têm sempre a expectativa de que a limitação da sua liberdade seja o mais curta possível", afirmou, quando questionado se Vieira estaria preparado para mais do que uma noite na esquadra.

Sobre as declarações na Comissão de Inquérito ao Novo Banco, Magalhães e Silva garante que não são prejudiciais para o presidente do Benfica. Na altura, Luís Filipe Vieira disse que nunca teve dívidas perdoadas e negou ser um dos maiores devedores. O tom e as declarações chegaram a indignar os deputados.

Luís Filipe Vieira detido

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, foi esta quarta-feira detido. Vai ser presente na quinta-feira ao juiz Carlos Alexandre e vai passar a noite na prisão. Em causa estão suspeitas de abuso de confiança, burla qualificada, falsificação, fraude fiscal e branqueamento.

Vieira vai passar a noite na prisão e vai ser presente esta quinta-feira ao juiz Carlos Alexandre.

A investigação envolve negócios e financiamentos superiores a 100 milhões de euros com prejuízos para o Estado.

Além de Luís Filipe Vieira, foram detidas outras três pessoas: Tiago Vieira, filho de Luís Filipe Vieira, José António dos Santos, conhecido por "Rei dos frangos", e Bruno Macedo, empresário de Braga ligado ao futebol.