País

Gouveia e Melo vai ser proposto para substituir atual Chefe do Estado-Maior da Armada

TIAGO PETINGA

Ministro da Defesa vai propor saída de António Mendes Calado, no cargo desde 2018.

O vice-almirante Gouveia e Melo vai ser proposto pelo Governo ao Presidente da República para substituir o atual Chefe do Estado-Maior da Armada que vai ser exonerado, adiantou à Lusa fonte próxima do processo.

A informação foi confirmada à Lusa por uma fonte próxima do processo e ligada à Defesa Nacional.

Henrique Gouveia e Melo assumiu o comando da 'task force' no passado dia 3 de fevereiro, na sequência da demissão do anterior coordenador Francisco Ramos, que esteve pouco mais de dois meses à frente da equipa.

O ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, vai propor ao Presidente da República a exoneração do Chefe do Estado-Maior da Armada, confirmaram esta terça-feira à Lusa fontes ligadas à Defesa.

De acordo com fontes ligadas à área da Defesa, o atual Chefe do Estado-Maior da Armada, almirante António Mendes Calado deverá, por proposta do Governo, sair do cargo que ocupa desde 2018.

Os chefes de Estado-Maior dos ramos são nomeados e exonerados pelo Presidente da República, sob proposta do Governo, a qual deve ser precedida da audição, através do ministro da Defesa Nacional, do CEMGFA, prevê a lei orgânica das Forças Armadas.

A Lusa tentou sem êxito obter um comentário do almirante António Mendes Calado.

Gouveia e Melo: o mestre da vacinação termina a missão e retira o camuflado

Quando assumiu o cargo de coordenador da task force, era praticamente desconhecido do grande público. Agora, é – sem sombra de dúvida – uma das figuras de maior destaque na sociedade.

Em meio ano, o vice-almirante Gouveia e Melo insurgiu-se contra a falta de entrega de vacinas, enfrentou negacionistas e acelerou o processo. É a ele – de forma inegável – que se deve o sucesso da vacinação contra a covid-19 em Portugal.

Veja também: