País

Rui Rio: "O povo não vota em quem grita mais contra o Governo"

MÁRIO CRUZ

Líder do PSD deixou vários recados aos sociais-democratas: "Se não tivermos juízo vamos destruir este momento"

O Presidente do PSD disse esta quinta-feira que o povo não vota em quem grita mais alto com o Governo, justificando a estratégia de oposição que adotou com o Executivo de António Costa.

No discurso no Conselho Nacional, defendeu que o PSD só ganha as legislativas ao centro, se conseguir roubar votos ao Partido Socialista.

"As eleições ganham-se ao centro. À esquerda do PSD estão mais de 50% dos votos. Se me entreter a ir buscar mais um ou dois por cento ao CDS ou à Iniciativa Liberal ou ao Chega nunca chegarei ao valor que pretendo. Para chegar lá tenho que roubar ao Partido Socialista", esclareceu.

O líder dos sociais-democratas reiterou que "neste momento é rigorosamente evidente que o PSD está a subir e o PS a descer". E seguiu-se um aviso: "Se não tivermos juízo podemos destruir este momento".

Para Rui Rio, o povo vota "em quem se comporta de acordo com aquilo que é o lugar que quer disputar", neste caso, o cargo de primeiro-ministro. Quem se candidata a líder do Governo deve ter "um comportamento coincidente com aquilo que entende que dever ser um primeiro-ministro", declarou.

Pode ver aqui o discurso de Rui Rio na íntegra

Conselho Nacional do PSD rejeita proposta de Rio e aprova eleições a 4 de dezembro

O Conselho Nacional do PSD rejeitou esta quinta-feira a proposta da direção para adiar a marcação do calendário interno para depois da votação do Orçamento do Estado e aprovou a realização de eleições diretas para 4 de dezembro e o 39.º Congresso para entre 14 e 16 de janeiro, em Lisboa.

Segundo relatos feitos à Lusa, o requerimento de Rui Rio foi rejeitado com 71 votos contra, 40 a favor e 4 abstenções.

Com este 'chumbo' foi a votos a proposta inicial da direção enviada na quarta-feira a meio da tarde aos conselheiros nacionais que previa diretas a 4 de dezembro (com eventual segunda volta no dia 11) e Congresso entre 14 e 16 de janeiro.