País

Rangel diz que é uma alternativa "clara e forte" ao PS

Entrevista SIC Notícias

Na SIC Notícias, o candidato à liderança do PSD Paulo Rangel critica a oposição de Rui Rio ao governo socialista: "Não fez o que devia ter feito, não foi forte, não foi firme".

O candidato à liderança do PSD Paulo Rangel realça que a principal diferença em relação ao adversário Rui Rio é ser uma alternativa "clara e forte" ao Partido Socialista (PS), com "políticas diferentes". Na SIC Notícias, diz que, se vencer as eleições no PSD, vai fazer uma oposição "responsável, credível, vigorosa e afirmativa".

"Devemo-nos propor ao eleitorado como um projeto que pode vencer as eleições e que permita acabar com a estagnação que nos trouxe a governação socialista, a estagnação económica e social", afirma.

Em entrevista à SIC Notícias, diz que pretende "criar riqueza e combater a pobreza" em Portugal.

Questionado sobre ser a segunda vez que se candidata à liderança do PSD, Paulo Rangel diz que só se candidata quando entende que pode "fazer a diferença".

Críticas à oposição de Rui Rio

Paulo Rangel critica a oposição de Rui Rio:

"Nestes anos em que a governação socialista se revelou muito incompetente, [Rui Rio] não fez a oposição que devia ter feito, não foi forte, não foi firme".

"Temos de fazer uma oposição responsável e credível, que seja vigorosa, afirmativa", acrescenta.

Sobre as medidas que foram anunciadas pelo Governo para conter a pandemia, o candidato à liderança dos sociais-democratas considera-as "adequadas", apesar de alguns analistas dizerem que são demasiado moderadas. No entanto, salienta que a vacinação está a "correr mal" e culpa o Governo de António Costa.

Os cenários daqui para a frente

Se perder, Rangel garante que vai continuar o mandato de deputado europeu e vai colaborar com o PSD e com a liderança do partido.

Questionado sobre uma possível vitória nas diretas do PSD e derrota nas legislativas, Rangel diz que é "um cenário que não quer pensar".

Sobre um possível acordo com o PS, realça:

"Não há, na história portuguesa, registo do PS ter apoiado um Governo minoritário do PSD".

"A minha posição é claríssima: somos uma alternativa ao Partido Socialista", acrescenta.

Paulo Rangel diz estar "absolutamente confiante" que vai ganhar as eleições no PSD. No entanto, realça: "Sou um democrata. Naturalmente, não sou uma pessoa que acredita que os resultados já existem antes do tempo".

Eleições diretas no PSD

As eleições diretas para escolher o próximo presidente do PSD realizam-se no sábado e serão disputadas entre Rui Rio e o eurodeputado Paulo Rangel.

Rui Rio admitiu, numa entrevista à Rádio Renascença, abandonar a vida política se perder as eleições diretas na corrida à liderança do PSD.

Saiba mais

  • Esqueçam o atrás...

    Tenham noção

    O recado de Rodrigo Guedes de Carvalho sobre redundâncias. Tenham noção que dizer ou escrever "há cinco anos atrás", "subir para cima" ou "descer para baixo" é desnecessário.

    SIC Notícias