País

Livre diz que demissão de Marta Temido pode ser interpretada como "uma desistência" do Governo

Livre diz que demissão de Marta Temido pode ser interpretada como "uma desistência" do Governo
O partido recorda que a demissão "surge na mesma noite em que foi divulgado mais um caso que gera preocupação em todos, com o falecimento de uma mulher grávida, em Lisboa".

O Livre considerou hoje que a demissão da ministra da Saúde, Marta Temido, pode ser interpretada como "uma desistência" do Governo de resolver os problemas na setor e exigiu "sinais claros" do primeiro-ministro.

Em comunicado, o partido representado no parlamento por Rui Tavares defende que a demissão de Marta Temido, anunciada na madrugada de hoje, "manifesta a incapacidade de fazer face aos muitos sinais de disfuncionamento e degradação" do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

"Pode ser entendida [a demissão] como uma desistência [do Governo] quando aquilo de que precisamos é de ação", sustentou o Livre.

O partido recordou que esta demissão "surge na mesma noite em que foi divulgado mais um caso que gera preocupação em todos, com o falecimento de uma mulher grávida, em Lisboa", enquanto estava a ser transferida para outro hospital por falta de vaga naquela em que se encontrava.

"Sem uma ação decisiva na defesa do SNS e sem um governo com a coragem de tomar medidas que invertam a situação crónica de suborçamentação de que padece, quem quer que venha a suceder a Marta Temido poderá não vir a ser senão um gestor do declínio do SNS", advogou o partido da papoila.

"Perante um cenário tão grave", prosseguiu o Livre, "exige-se do primeiro-ministro sinais claros de apoio político a medidas estruturais de defesa" do Serviço Nacional de Saúde.

Marta Temido demitiu-se na madrugada de hoje por entender que "deixou de ter condições" para exercer o cargo.


Loading...

Fonte próxima do primeiro-ministro revelou à Lusa que a substituição "não será rápida" e que António Costa gostaria que a ministra demissionária concluísse o processo de definição da nova direção executiva do SNS.

Últimas Notícias
Mais Vistos