País

Metade dos dois mil médicos do privado daria para colmatar falta de médicos de família

Loading...

Presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar reconhece que é difícil atrair e fixar estes profissionais no SNS.

Mais de dois mil médicos de medicina geral e familiar estão fora do Serviço Nacional de Saúde (SNS). A associação que representa a classe diz que metade poderia resolver o problema da falta de médicos de família no SNS. Sublinha, no entanto, que atrair e fixar estes profissionais é difícil.

Os números de outubro dizem que há um 1,3 milhões de pessoas sem médico de família em Portugal. Por outro lado, há dois mil profissionais destes fora do SNS. A matemática diz que seria necessário atrair apenas mil para resolver o problema dos utentes a descoberto.

As contas são hoje apresentadas no jornal Público, que falou com o presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar. Nuno Jacinto faz os cálculos também às reformas até 2024 e diz que se as condições dos centros de saúde não forem corrigidas, os médicos vão continuar a sair.

Em causa estão os vários modelos de gestão das chamadas unidades de saúde familiar. O modelo C levantou já uma violenta discussão no Parlamento, com a bancada do Bloco de Esquerda a temer que se abra caminho à privatização dos centros de saúde.

Também o ex-ministro da Saúde Correia de Campos diz ao Público que esta solução pode mesmo contribuir para acabar com universalidade do SNS.

Últimas Notícias
Mais Vistos