País

Mayan mantém acusações à direção de Cotrim Figueiredo

Tiago Mayan Gonçalves - Imagem de arquivo
Tiago Mayan Gonçalves - Imagem de arquivo
FERNANDO VELUDO

No discurso de despedida, Cotrim Figueiredo respondeu a algumas críticas que lhe foram dirigidas nos últimos meses, inclusive as de Tiago Mayan Gonçalves.

O antigo candidato às eleições presidenciais pela Iniciativa Liberal, Tiago Mayan Gonçalves, disse este sábado manter as críticas à direção cessante, encabeçada por João Cotrim Figueiredo, salientando que o próprio reconheceu erros no seu discurso.

Na última intervenção enquanto presidente da Iniciativa Liberal, João Cotrim Figueiredo, na VII Convenção Nacional, no Centro de Congressos de Lisboa, respondeu a algumas críticas que lhe foram dirigidas nos últimos meses, inclusive a de que era "cabecilha de um Comité Central" semelhante ao do Partido Comunista Português (PCP).

"Cabecilha de um comité central! Algo que entra no domínio do delírio e que só não é ofensivo porque tem uma certa graça", disse Cotrim, numa referência a declarações ao jornal Observador feitas em dezembro por Tiago Mayan Gonçalves - que apoia a candidata à liderança Carla Castro.

À agência Lusa, logo após o discurso final de João Cotrim de Figueiredo, Tiago Mayan foi questionado sobre esta parte da intervenção do líder cessante (que apoia o candidato à liderança Rui Rocha).

"O que eu vejo é que o facto de o João sair a meio do seu mandato enquanto presidente da Comissão Executiva e o facto também reconhecido por ele no seu discurso de falhas nas questões de gestão interna do partido também demonstram que o João não está satisfeito nesta componente interna", defendeu.

Mayan salientou que não usou concretamente a expressão referida, no entanto, apropriou-a, dizendo que é "naturalmente uma expressão mais literal e gráfica para uma coisa que manifestamente decorreu no partido, que foi uma cultura de gestão demasiado centralizada e demasiado opaca".

A VII Convenção da Iniciativa Liberal decorre entre sábado e domingo, no Centro de Congressos de Lisboa, e os cerca de 2.300 membros do partido inscritos na reunião magna vão eleger o sucessor de João Cotrim Figueiredo na liderança do partido, que nas últimas legislativas passou de um para oito deputados.

Na primeira convenção eletiva da história da IL (fundada em 2017), disputam a presidência da Comissão Executiva Rui Rocha e Carla Castro, ambos deputados e membros da direção cessante, e o conselheiro nacional José Cardoso.

Últimas Notícias
Mais Vistos