Cultura

"A morte é um paradoxo, já não assusta ninguém". A vida e a obra de Eduardo Lourenço

Morreu esta terça-feira, em Lisboa, aos 97 anos.

Filósofo, professor, ensaísta, escritor e crítico literário, Eduardo Lourenço morreu esta terça-feira, em Lisboa, aos 97 anos.

Eduardo Lourenço nasceu em São Pedro do Rio Seco, no distrito da Guarda. O mais velho de 7 irmãos, foi nessa aldeia que fez o ensino primário.

Frequentou mais tarde o Colégio Militar, em Lisboa, e a Faculdade de Letras de Coimbra, onde estudou Ciências Histórico-Filosóficas. A carreira académica começaria nesta universidade como professor assistente.

Emigrou para França, onde viveu a maior parte da vida, no ano em que publicou o primeiro livro, Heterodoxia 1. Ensinou a língua e cultura portuguesas em várias universidades europeias e filosofia na Universidade da Bahia, no Brasil.

Autor de mais de 40 livros, somou dezenas de prémios nacionais e internacionais. Foi prémio Pessoa em 2011, quando o galardão cumpria 25 anos. Recebeu condecorações como a Grã-Cruz da Ordem da Liberdade ou a da Ordem do Infante D. Henrique.

Há dois anos protagonizou o filme Labirinto da Saudade, de Miguel Gonçalves Mendes.

  • "Quando estou com os avós sinto-me feliz"

    Desafios da Mente

    As investigações apontam que as crianças que têm avós envolvidos na prestação de cuidados podem ter melhores índices de saúde mental, como uma redução do risco de sintomas depressivos e de comportamentos desviantes, bem como melhor desenvolvimento cognitivo. Em Portugal, o Dia dos Avós celebra-se a 26 de julho. A data foi instituída pela Assembleia da República, em 2003.

    Mauro Paulino