Economia

Empresas de cerâmica com custos 10 vezes superiores devido ao preço do gás

Loading...
Empresários dizem que não vão conseguir suportar o aumento e que poderão ter de reduzir o número de colaboradores.

As cerâmicas, que dependem totalmente do gás, exigem medidas urgentes do Governo no apoio à despesa com o setor energético. Em algumas empresas, o gasto com o gás aumentou 10 vezes e não há alternativas no setor. Os empresários alertam que poderão ter de reduzir, quer a produção, quer o número de colaboradores.

Na cerâmica de louça sanitária SANITANA, em Anadia, a despesa com o gás deverá ser dez vezes superior à conta de 2021.

"Para ter uma noção, uma fatura de julho de 2021 são cerca de 160.000 euros, neste momento está em 1.600.000 euros por mês", contou Paulo Moreira dos Santos.

Na indústria cerâmica, não há alternativa ao gás, uma vez que é o único combustível disponível para os fornos.

Neste momento, são custos incomportáveis porque nós não podemos transmitir isso para o mercado porque não podemos estar a multiplicar preços por 10”, explicou.

Como as expectativas sobre a reunião de ministros da Energia não são grandes, a regulação a nível da União Europeia dos preços da energia, a suspensão do pagamento por conta, a suspensão de pagamentos por conta do IRC e mais incentivos às empresas são algumas das sugestões destas empresas de cerâmica.

Últimas Notícias
Mais Vistos