Coronavírus

ARS do Alentejo ameaçou médicos que recusaram trabalhar no lar de Reguengos de Monsaraz

Médicos foram ameaçados com processo disciplinar.

Especial Coronavírus

O Presidente da Administração Regional de Saúde do Alentejo ameaçou com processos disciplinares os médicos que se recusaram a trabalhar no lar de Reguengos de Monsaraz durante o surto.

A versão é não é a mesma da apresentada pelo Sindicato Independente dos Médicos, que defende que os médicos aceitaram, numa primeira fase, trabalhar no lar. A recusa surgiu perante as parcas condições sanitárias do lar e da falta de segurança nos atos médicos.

A Ordem dos Médicos critica todas as decisões da ARS do Alentejo, principalmente a de não ter transferido os utentes para outras unidades.

O surto de covid-19 num lar em Reguengos de Monsaraz matou 18 idosos. O Ministério Público abriu uma investigação.

  • 16:14