Coronavírus

Portugal com mais 52 mortes e 5.550 casos de covid-19

Rafael Marchante

Os últimos dados divulgados pela DGS.

Especial Coronavírus

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou no boletim diário desta sexta-feira que há mais 52 mortes e 5.550 novos casos de Covid-19 em Portugal. No total, o país regista 2.792vítimas mortais e 166.900 infetados pelo novo coronavírus.

Nas últimas 24 horas estão mais 20 doentes internados nas Unidades de Cuidados Intensivos, totalizando 340.

Em relação aos internamentos em enfermaria estão 2.425 pessoas internadas, mais 63 do que na quinta-feira.

A DGS revela que estão ativos 70.354casos de infeção, mais 3.197 do que na quinta-feira. Também nas últimas 24 horas foram dados como recuperadas 2.301 pessoas, num total de 93.754 desde o início da pandemia.

As autoridades de saúde têm agora sob vigilância 79.689 pessoas, mais 12.247 que nas últimas 24 horas.

António Costa admite que estado de emergência possa durar até ao fim da pandemia

António Costa, em declarações feitas à Antena 1, explica que "este é um estado de emergência com renovação continuada".

O primeiro-ministro admite que o estado de emergência possa durar até ao fim da pandemia e antecipou também o que pode vir a ser o Natal dos portugueses.

PROJETO DE DECRETO DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA

Na exposição de motivos do diploma enviado para a Assembleia da República, o chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, defende que é preciso um estado de emergência para haver "garantias reforçadas da segurança jurídica" de medidas a adotar "em domínios como os da convocação de recursos humanos para rastreio, do controlo do estado de saúde das pessoas, da liberdade de deslocação e da utilização de meios do setor privado e social ou cooperativo".

O projeto de decreto permite:

  • a restrição da liberdade de deslocação, "designadamente nos municípios com nível mais elevado de risco" e "durante determinados períodos do dia ou determinados dias da semana",
  • a utilização pelas autoridades públicas de recursos, meios e estabelecimentos de saúde dos setores privado, social e cooperativo, "preferencialmente por acordo" e "mediante justa compensação".
  • a imposição de controlos de temperatura corporal e testes de diagnóstico do novo coronavírus para acesso a determinados espaços
  • a mobilização de trabalhadores e das Forças Armadas e de segurança para o reforço das autoridades de saúde em inquéritos epidemiológicos e de rastreio.

O Parlamento vai debater e votar esta sexta-feira o projeto de decreto do Presidente da República que declara o estado de emergência em Portugal entre 9 e 23 de novembro para permitir medidas de contenção da covid-19.

Mapas com os casos a nível global

LINKS ÚTEIS