Coronavírus

Portugal com mais 81 mortes e 4.452 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

Rafael Marchante

Um novo máximo de internamentos em UCI.

Saiba mais...

Portugal regista mais 81 mortes e 4.452 novos casos de Covid-19, segundo o boletim diário desta terça-feira da Direção-Geral da Saúde.

Segundo o boletim, 66% dos novos casos situam-se na região Norte, que contabilizou nas últimas 24 horas mais 2.941 infeções, seguido de Lisboa e Vale do Tejo, com 812 novos casos.

Nas últimas 24 horas estão mais cinco doentes internados nas Unidades de Cuidados Intensivos, totalizando 431, um novo máximo de internamentos em UCI. Em relação aos internamentos em enfermaria estão 3.028 pessoas internadas, menos 12 do que na segunda-feira.

A DGS revela que estão ativos 77.126 casos de infeção, menos 2.919 do que na segunda-feira. Foram dados como recuperadas mais 7.290 pessoas, totalizando 149.445 desde o início da pandemia.

As autoridades de saúde têm agora sob vigilância 80.817 pessoas, menos 14.537 nas últimas 24 horas.

DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA DOS NOVOS CASOS

A região Norte é a que regista a maioria dos novos casos, tendo sido reportados 2.941 nas últimas 24 horas, totalizando 116.966 casos de infeção e 1.650 mortos desde o início da pandemia.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo foram notificados mais 812 novos casos de infeção, contabilizando-se agora 81.621 ocorrências e 1.323 mortes.

Na região Centro registaram-se mais 353 casos de infeção, contabilizando-se agora 21.406 e 444 mortos.

No Alentejo foram registados mais 243 novos casos de covid-19, totalizando 4.547 e 83 mortos.

A região do Algarve tem hoje notificados mais 65 casos de infeção, somando 4.238 casos e 36 mortos desde o início da pandemia.

Na Região Autónoma dos Açores foram registados 11 novos caso nas últimas 24 horas, somando 625 infeções detetadas e 15 mortos desde o início da pandemia.

A Madeira registou 27 casos nas últimas 24 horas, contabilizando 721 infeções e dois óbito.

DADOS POR GÉNERO E FAIXA ETÁRIA

Os casos confirmados distribuem-se por todas as faixas etárias, situando-se entre os 20 e os 59 anos o registo de maior número de infeções.

O novo coronavírus já infetou em Portugal pelo menos 101.427 homens e 124.201 mulheres, de acordo com os casos declarados.

O boletim de hoje refere que há 4.496 casos confirmados de sexos desconhecidos que se encontram sob investigação, uma vez que estes dados não são fornecidos de uma forma automática.

Do total de vítimas mortais, 1.813 eram homens e 1.740 mulheres.

O maior número de óbitos continua a concentrar-se nas pessoas com mais de 80 anos.

Portugal é o décimo país europeu com mais casos por 100 mil habitantes

A diretora-geral da Saúde disse esta segunda-feira que se mantém "uma tendência epidémica crescente" e que a taxa de incidência a 14 dias é de 760 casos de covid-19 por 100 mil habitantes, sendo a região Norte a mais afetada.

Na conferência de imprensa de atualização de informação relativa à infeção pelo novo coronavírus, Graça Freitas avançou que a taxa de incidência cumulativa a 14 dias, de 760 casos por 100 mil habitantes, coloca Portugal em décimo lugar na lista de países europeus.

"Vacinas não resolvem o problema nos próximos meses. Não é motivo para relaxarmos"

O bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, sublinhou que a eficácia verificada nos testes preliminares das vacinas é uma notícia boa, mas que não é motivo para um relaxamento. Até porque, segundo defende, a vacina não resolverá os problemas nos próximos meses, onde vamos ter que contar com as medidas de contenção utilizadas atualmente.

Numa entrevista à SIC Notícias, o bastonário analisou também o aumento da pressão nos hospitais, frisando a necessidade de uma coordenação a nível regional e nacional, com poder executivo, para que a transferência de doentes seja mais rápida e facilitada entre unidades de várias regiões.

Veja também:

LINKS ÚTEIS

  • Vamos falar de jejum: era capaz de ficar 16 horas por dia sem comer?

    País

    O jejum intermitente é um regime alimentar que impõe um período de restrição alimentar. Existem vários modelos, mas o mais conhecido é dividido em 16 horas de jejum e oito horas em que pode comer livremente. Os especialistas reconhecem benefícios nesta prática, mas afirmam que a investigação científica ainda é escassa.

    Exclusivo Online

    Filipa Traqueia